quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Quando se tem um dilema daqueles a sério...

Ando cansada. Mas tão cansada, que começo a ponderar seriamente se vale a pena continuar a fazer o jornal da terra em part time. É certo que o dinheiro dá jeito (não sendo muito, dá para pagar a despesa fixa do carro), mas nesta altura, com eleições, futebol a começar, festas e mais festinhas, tem-se tornado demasiado cansativo. 
São muitas as tardes de piscina perdidas, as faltas aos jantares com os amigos e cada vez menos os momentos de dolce far niente, que tanta falta fazem. E ainda mais as horas de sono perdidas, durante a semana, para escrever as páginas, sobretudo agora, que acordo muito mais cedo.
E, apesar de saber que, muito provavelmente, lá para outubro as coisas acalmam, penso que depois vem o Natal e a Páscoa,  e os aniversários dos jornais (sim, são dois em um), que obrigam a edições especiais com mais páginas e torna-se quase desesperante.
E eu ando sem paciência alguma para transcrever discursos sem fim e encher chouriços quando há falta de notícias de jeito. Já para não falar nas chatices que a porcaria da política me tem trazido, com toda a gente a querer mais destaque que os da oposição e a reclamar constantemente da minha imparcialidade. Sim, todos querem ser o centro das atenções, mas apenas pelos motivos que lhes convém. Se for para dizer umas verdades daquelas inconvenientes, aí "eu já me ando a esticar", como teve a lata de me dizer um vereador a semana passada. Yap. Fui ameaçada! A minha primeira ameaça, enquanto jornalista, surge no final de 11 anos a mandar bitaites nas páginas de jornais!
E a verdade é que, por muito que eu goste do jornalismo, há muitos anos que decidi que não queria fazer disto vida, por todos os defeitos que a profissão tem. E também prometi a mim mesma que, quando me voltasse a chatear por causa do jornal, o deixava na hora, porque só o quero fazer enquanto me ajudar a ser feliz. Esta semana já tive dificuldade em adormecer e tive de tomar um comprimido para a ansiedade.
Resta-me conseguir perceber se isto significa que está na hora para dizer chega e para me separar de um projeto que cresceu comigo e que acompanho há dez anos.

3 comentários:

  1. A resposta !
    http://derepentejanostrinta.blogspot.pt/2017/07/ja-disse-que-odeio-ser-pobre.html

    ResponderEliminar
  2. Minha linda, mantém-te no jornal, porque os novos empregos podem não ser tão bons como às vezes parecem... ;)

    ResponderEliminar