segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

27-02-2016: O início do fim.

Provavelmente não sabes que dia é hoje. No ano passado não te lembraste, por isso, com certeza, este ano não havias de o fazer, até porque já não faz sentido.
Há um ano atrás, eu, que nem sou destas coisas, queria aproveitar o fim-de-semana para celebrarmos juntos o terceiro aniversário de namoro. Disse-te duas vezes que devíamos combinar alguma coisa especial. Tu concordaste, mas esqueceste-te na mesma.
Há ano atrás, no dia 27 de fevereiro, fui a um jantar em trabalho, fazer reportagem do aniversário de uma equipa de futebol. Não foi bem o jantar que tinha planeado para esse dia. E a comida desceu com alguma dificuldade, como um grande sapo que custa a engolir. 
Há um ano atrás eu fiz-te um teste e tu reprovaste com uma daquelas negativas que se tem vergonha de mostrar aos pais. Eu sabia que ias falhar e não fiz nada para te ajudar a passar no teste. Porque nunca fui de cábulas. Sempre tive boas notas por mérito próprio. Achei que estava na hora de fazeres o mesmo.
Tu provavelmente não te lembras do que se passou há um ano atrás, mas eu, que até tenho memória de peixe, lembro-me perfeitamente. Para mim foi a gota de água. Para ti foi uma coisa sem importância nenhuma. Como convinha, já que a culpa era tua. Se fosse minha, teria direito a umas belas semanas de castigo, a levar com amuos e respostas tortas.
Há um ano atrás eu passei o fim-de-semana, aquele que deveria ser romântico e de comemoração, sem te pôr a vista em cima e sem falar contigo.
Há um ano atrás eu percebi que estava a chegar o dia que eu mais temia. Aquele em que ia ter de fazer uma das coisas mais difíceis da minha vida. Tomei uma decisão sobre a qual não tinha certeza nenhuma, mas que era inevitável.
Há um ano atrás a desilusão, que andava a rondar há algum tempo, tomou conta de mim. A desilusão de perceber que afinal não eras o meu FM. Não por te teres esquecido da data, naturalmente, mas por todas aquelas pequenas coisas que foram minando o futuro que eu via ao teu lado.
Há um ano atrás, foi o início do fim.

5 comentários:

  1. Lois, por mais que te tenha custado dar esse passo, sabes que foi melhor assim. Mais vale um passo difícil, do que passares mais um ano ou dois ou uma vida em caminhos minados de desgostozinhos. Beijinho grande!

    ResponderEliminar
  2. Boa noite, Lois. Sou a anónima que há uns tempos lhe perguntou pelo FM, salientando que não era obrigada a falar do caso, se não quisesse.Respondeu que iria falar um dia destes, e hoje resolveu-se. Fico triste pelo que lhe aconteceu, mas pense no ditado brasileiro "a fila anda", haverá outro amor para si. Não desista! :)

    ResponderEliminar
  3. :( leio-te há pouco tempo e, por isso, não acompanhei essa fase. Lamento. E com certeza terá custado. Como custa sempre... no entanto, um ano volvido, espero já teres chegado à conclusão de que estás melhor e de bem com essa decisão :)

    ResponderEliminar
  4. tomar consciência que uma relação não tem futuro, até ao final da mesma, é uma morte lenta. o fim de uma relação, por si só, é um luto.
    felizmente, com o avançar na idade, fui esquecendo datas e com elas as lembranças. e fui-me apercebendo que tudo o que vem a seguir é muito melhor do que o que fui perdendo.

    ResponderEliminar