sexta-feira, 29 de julho de 2016

Os dilemas de se trabalhar no meio dos gajos.

Não tarda vou começar a usar burka no trabalho. 
Um dia destes trouxe um vestido, que nem era nada curto, mas com corte justo. Nas primeiras horas pensei que estava a ficar maluca e que era impressão minha, mas ao longo do dia percebi que estava mesmo a acontecer: Tudo o que era gajo (e neste empresa há muito gajo) se punha a olhar de cima a baixo. Até o comercial que eu ia jurar que é gay.

E hoje já dei com um gajo (pelos vistos é meio tarado e foi já chamado à atenção pela forma como se comportou com uma cliente) a olhar, descaradamente, para as minhas mamas. 
Apeteceu-me dizer: "Amigo! Não te entusiasmes muito, que estes sutiãs da Intimissimi fazem milagres". E o que eu trago, de facto, faz. 
Tanto que nem o usava, porque ficava com as mamas quase debaixo do queixo. Mas como estive uns dias doente e perdi uns dois quilos, aqui as minhas amigas perderam logo volume (podia ser na barriga, nos braços ou nas coxas. Mas não. Tinha de ser nas mamas) e já o posso usar, pensava eu, sem dar demasiado nas vistas. 
Pelos vistos enganei-me. 


5 comentários:

  1. És muito convencida. Mas aposto que és feiota...

    ResponderEliminar
  2. Tão feia, que todos os dias saio à rua com um saco de papel na cabeça!

    ResponderEliminar
  3. Ai meu Deus. Os homens são mesmo trengos!!

    ResponderEliminar
  4. O teu trabalho deve ser mesmo difícil...e deves ter muito que fazer. És tu a a S*.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E tu deves morrer de inveja disso! Como dizia o outro: estudasses!

      Eliminar