sexta-feira, 29 de julho de 2016

Os dilemas de se trabalhar no meio dos gajos.

Não tarda vou começar a usar burka no trabalho. 
Um dia destes trouxe um vestido, que nem era nada curto, mas com corte justo. Nas primeiras horas pensei que estava a ficar maluca e que era impressão minha, mas ao longo do dia percebi que estava mesmo a acontecer: Tudo o que era gajo (e neste empresa há muito gajo) se punha a olhar de cima a baixo. Até o comercial que eu ia jurar que é gay.

E hoje já dei com um gajo (pelos vistos é meio tarado e foi já chamado à atenção pela forma como se comportou com uma cliente) a olhar, descaradamente, para as minhas mamas. 
Apeteceu-me dizer: "Amigo! Não te entusiasmes muito, que estes sutiãs da Intimissimi fazem milagres". E o que eu trago, de facto, faz. 
Tanto que nem o usava, porque ficava com as mamas quase debaixo do queixo. Mas como estive uns dias doente e perdi uns dois quilos, aqui as minhas amigas perderam logo volume (podia ser na barriga, nos braços ou nas coxas. Mas não. Tinha de ser nas mamas) e já o posso usar, pensava eu, sem dar demasiado nas vistas. 
Pelos vistos enganei-me. 


terça-feira, 26 de julho de 2016

Um ano depois do acidente mais estúpido da história do quase ciclismo

Há um ano atrás, por esta hora, eu estava esticada numa cama de hospital, com o pipi todo estragado. E isto soa mal pra caramba.  
Antes que pensem coisas piores, recordo que fez ontem um ano que tive o acidente de bicicleta.
Relato completo aqui.

Um ano depois, o pipi está como novo. Diz a médica que se nota uma cicatriz. Não, não fui verificar. 

domingo, 17 de julho de 2016

Qual é a probabilidade de, com este calor, eu estar a ficar doente??

Muito elevada. Demasiado!
Qual é a probabilidade de eu estar a ficar doente com este calor?

Muito elevada. Demasiado!

sábado, 16 de julho de 2016

Estou quase, quase de volta.

Eu sei que este tasco anda parado, sem grande sentido nem vontade e enfadonho. Como eu. A minha escrita reflete, sempre, o meu estado de espírito. Não consigo evitá-lo. Mas estamos a melhorar. E prometemos, eu e o blog, que muito em breve voltamos à velha forma. 
A Lois Lane andava um bocadinho perdida, mas parece que o GPS já está outra vez a apanhar sinal. 

segunda-feira, 11 de julho de 2016

Over and over again.

Há cerca de dois meses que, todas as semanas, um indivíduo me convida para lanchar ou tomar café. Todas as semanas eu digo que não posso, porque tenho de trabalhar, limpar, ir à manicura, ao curso de formação ou ao raio que parta. 
E o gajo continua, semana após semana, a convidar. 
E eu pergunto-me. Aliás, a vocês: Afinal, quantas negas tem uma pessoa de levar, até perceber que o outro lado não está mesmo para aí virado?