quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Não acreditando nessas coisas das previsões astrológicas, o facto é que, em todo o lado, a descrição do meu signo bate sempre certo com a minha personalidade. De todas as características apontadas, acho que não falho uma. Sou a verdadeira gaja Gémeos. 
Se isso é bom? Pá... Para mim, na maior parte das vezes, sim. Tem dias que nem por isso. De vez em quando cansa ser assim. Para os outros? Depende.

E agora perguntam vocês: Atão mas isto vem a propósito de quê? Nada de especial. Só acho que há pessoas que não veem aspectos essenciais em mim. Mais lhes valia ir ler os signos. 
E quando o complicómetro decidi ligar sozinho e teima em não desligar? Pois. É uma merda.

Quereis um conselho??

Se não mexeis o rabo há mais de meio ano, como eu, não tenhais a triste ideia de ir experimentar uma aula de crossfit. Ide primeiro fazer uns exercícios, de modo a evitar que vos aconteça o mesmo que a mim: os seis minutos de aquecimento acabaram logo comigo e hoje tenho uma série dificuldade em subir e descer escadas, sentar e levantar da cadeira. Amanhã vai doer mais. Ai...

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Será??

A sério que não há Lefties em Braga? Ou ando a ver mesmo mal e a internet está a enganar-me? Comé que pode? Eu preciso de lá ir às camisolas!

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Acho que vou hibernar.

Já não me lembro há quantos anos não vestia uns collants por baixo das calças. Mas hoje, minha gente, teve de ser. Está um frio em Braga, que não se pode! Tal e qual como na terrinha. Ca-re-do!

Quando sair do trabalho vou ao shopping comprar roupa. Quente. Camisolas. De malha. Quentinha. Brrrr....

domingo, 14 de fevereiro de 2016

Atão hoje é dia dos namorados e eu não escrevo nada sobre isso??

Bom, aqui vai: Por estes lados, finalmente parou de chover. Acho que vou tomar um banho e sair à rua. Antes que ganhe bolor, de tanto tempo metida em casa.

É isto. Odeio o Dia dos Namorados. Quando era solteira não podia dizer isto, sem ter logo alguém a lançar a farpa: "Ai, só dizes isso porque estás sozinha". Pá, não. Agora digo exactamente a mesma coisa. Felizmente o FM é cá dos meus e não vai nessa história de trocar prenda pirosas só porque é  14 de Fevereiro. 

Gostam de ir a restaurantes / cinemas / parques lotados de gente?? Força! Eu prefiro ir em dias 'normais'. De preferência quando não houver coisas cor de rosa em forma de coração por tudo quanto é lado.

É. Sou uma romântica. 

Seis motivos para ver iZombie

Não sei se já disse que ando a ver a série iZombie. Não é bem o meu género, mas tem piada, é descontraída e vai dando para rir. Ao mesmo tempo, tem alguns argumentos que, aposto, vai fazer com que vocês também passem a ver a série. 
Há argumentos para todos os gostos minha gente. Comecemos:

 1. Blaine: O vilão da história, que transformou aquele povo todo em zombie, incluindo a protagonista. Traficante de droga, zombie, ex-zombie.






2. Ravi: O médico legista que é amigo e colega de trabalho da protagonista. Nunca foi zombie e tenta arranjar uma cura para a amiga.






3. Drake: Zombie com pinta que trabalha para o vilão, mas que no fundo parece ser boa pessoa. Zombie.







4. Lowell. Gajo lindo de morrer que aparece na primeira temporada e se envolve com a protagonista. Zombie. Agora morto. De vez.






5. Peyton: O mulherão lá do sítio. Eu que sou gaja e hetero, fico de olhos em bico sempre que ela aparece. É que é linda de morrer! Até agora, não é zombie. 






6. Major: Porque eu gosto de deixar sempre o melhor para o fim. O homem sorri e toda eu fico a babar para o computador. Anda metido nuns negócios muito manhosos. Ex-namorado da protagonista. Ex-zombie.  











Agora, digam-me lá: De certeza que não querem começar a ver a série?? 

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Dúvidas, dúvidas...


Ai a minha vida!

Estou necessitada de comprar uns sapatos. Mas, por este andar, acho que mais vale investir num par de galochas. Outro!

Ainda por cima descobri hoje que Braga é conhecido por ser o 'penico do céu', porque aqui chove mais. 

Bonito...

domingo, 7 de fevereiro de 2016

Descobri o Ferrari das leggings para gajas. Sim, só agora.

Já toda a gente sabe que eu sou uma pessoa com muito frio. E, por isso, passa-se o Inverno sem que eu enfie uma calças de ganga. Que são geladas! Não consigo vesti-las. Como tal, passo os meses mais frios a usar collants quentes, leggings e calças de bombazine ou outros materiais mais quentinhos. 
Ora, as minhas leggings pretas, que eu adoro usar com vestidos de malha curtinhos, mini saias ou com camisolões compridos, estavam todas estragadas. E eu, que andava há séculos para experimentar uma daquelas todas xpto da Calzedonia (pá, com muita pena minha, não me deram nada para escrever isto), lá fui a uma loja experimentar as ditas. Já disse que são push up? Ah pois é!
A rapariga olha para mim e diz-me que tem de ser um S. Eu olhei para ela com aquele ar desconfiado, de quem duvida da capacidade de medição a olho e ainda digo que a roupa engana, mas ela diz que não, que tem de ser. 
Lá fui eu para o provador. Agarrai nas leggings, que me pareceram totalmente minúsculas e pensei que nunca na vida me ia conseguir enfiar dentro daquilo. Comecei a vestir e cada vez tinha mais a certeza. Chegaram à anca e disse a mim mesma que aquela porra não ia passar. 
Mas o facto é que passaram. E não é que depois de as puxar para o sítio, o raio das calças ficaram impecáveis e super confortáveis?? Nessa altura percebi porque é que o mulherio anda todo louco com isto. É que de facto ficam muito bem ajustadas e dão a sensação de deixarem ali tudo no sítio. Aliás, sensação não, que a diferença no espelho é notória. Uma pessoa perde logo ali um bom bocado de presunto e barriga. 
Conclusão? No próximo mês vou lá comprar umas em azul marinho! 
Só é pena que o efeito passe quando as tiro!

Mais ou menos isto.
Com leggings push up:


Sem leggins push up:




sábado, 6 de fevereiro de 2016

Atão não é que aqui o estaminé ultrapassou as 200.000 visitas e eu nem tinha dado por ela??

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Então, como diz a outra, é o seguinte:

Cá estou, finalmente. Sentada em frente ao computador. E tão cansada, mas tão cansada, que podia jurar ter andado o dia todo a trabalhar no campo. Mas não. Estive num escritório. De uma empresa. Em Braga.
Comecei há duas semanas e mudei-me definitivamente no fim de semana passado. 
Como me sinto? Feliz com o emprego novo, que está a exceder as expectativas, mas desolada com a falta que me faz a minha casa em Gaia, o metro, a Avenida da República, o Porto, o meu Rio Douro, os passadiços junto à praia... E muito chateada por ter alugado apartamento sem pensar duas vezes, só porque parecia novo, sem ter percebido que a construção é uma caca, que se ouve tudo de uns apartamentos para os outros e que vim parar a um ninho de estudantes. Estou ao lado, literalmente, da universidade!
Já me tinham avisado para não ficar nesta zona, mas o gajo da imobiliária garantiu que o prédio era muito sossegado, que viviam aqui famílias, que era tudo muito bom. Só que não. Desde quando é que se acredita em gajos de imobiliárias? A verdade é que aqui no prédio vivem famílias. Mas também vivem, por cima da minha cabeça, duas criaturas do sexo masculino que, quando estão em casa (felizmente passam muito tempo fora. Na borga, com certeza) fazem mais barulho do que um grupo de pitas histéricas à espera do concerto dos DAMA. Eles falam alto, eles riem, eles gritam, eles uivam (sim, uivam. Mesmo). Eles batem com as coisas, eles batem com as portas, eles batem com as patas no chão. 
E eu? Ouço tudo. Tudinho! 
Mas já (quase) me convenci que não vale a pena stressar mais, que é apenas temporário e que agora, com tempo (que é como quem diz, um ou dois meses) vou encontrar um cantinho mais sossegado. 
Então e Braga, é fixe? Pá, dizem que sim. Mas em duas semanas, conheço basicamente o mesmo que já conhecia, apenas com o acréscimo do percurso entre casa e o trabalho. Vá, e o Braga Parque. Como entro às 8h30, tenho de acordar praticamente de madrugada, que é como quem diz, o mais tardar às 7h20. O corpo ainda se está a habituar à rotina e aos horários, por isso ando sempre cansada e quando chego a casa só quero vestir o pijama, comer e descansar. Se bem que isto só aconteceu ontem e hoje, uma vez que nos outros dias tenho andado a tentar, desesperadamente, guardar a tralha toda que trouxe. Finalmente está quase, quase tudo no sítio. 
Espero a partir de agora ter tempo para apreciar a bela cidade que me recebeu, ficar cá uns fins de semana e dar umas voltas. Há tanto para ver! E tenho o Gerês aqui ao lado. O Porto também está a pouco mais de meia hora de viagem. Só faltam os amigos. Que isto de não ter companhia para ir ao sushi ou aos hambúrgueres não está com nada. 

Sou uma pessoa muito fashion, quando chego a casa!

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

A Zara e eu andamos muito amiguinhas!

É que parece que andam a fazer vestidos à minha medida. Este foi comigo para casa ontem.





E hoje veio comigo para o trabalho. E agora vocês dizem: Trabalho???? Pois! 
Sim, porque as pessoas de Braga andam sempre muito bem vestidas e eu tenho de acompanhar! E agora vocês: Braga??? Ya!
Algumas novidades! Que eu conto mal tenha conseguido arrumar toda a tralha da casa nova (Casa nova???? Teve de ser.) e consiga parar meia hora no pc.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Isto das modas...

Gostava de saber onde tinha a cabeça quando comprei uns collants amarelos. E quando os vesti. E quando decidi sair assim de casa. 
Vá, calma, que não são amarelo canário! É assim mais para a cor de açafrão. Ficam bem no meu vestido azul marinho com riscas a fazer xadrez, umas das quais na bendita cor. Mas na teoria a coisa resultava melhor. Na prática, de cada vez que me levanto a cadeira, só vejo pernas amarelas!