sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Chegou a época das touradas. Nas lojas.

Já me desgracei nos saldos. Online. Que nas lojas ninguém me apanha. Entrei na Zara, no primeiro dia de saldos e pensei que tinha passado por lá um furacão! Não sei como é que alguém se entende no meio daquela confusão de trapos. Prefiro o conforto da minha cadeira e do meu pc.
Agora é só rezar para ter acertado nos tamanhos!

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Odeio pessoas bufonas.

Odeio pessoas bufonas. E o que são pessoas bufonas?? É aquela malta que passa a vida a bufar por tudo e por nada! Bufam quando estão a trabalhar, bufam quando estão a cozinhar, bufam quando vão a passar no corredor, bufam quando estão à espera do autocarro, bufam quando entra um cliente na loja, bufam quando se fala com elas, passam a vida a bufar!
Mas é aquele bufar de enfado, de impaciência, de quem anda revoltado com a vida e com o mudo em geral. Por norma, essas pessoas trazem sempre uma cara de quem toda a gente lhe deve e ninguém lhe paga.

Pessoas: é possível estar chateado sem bufar. Tá??

PS: Eu só bufo quando passo uma semana inteira a trabalhar num excel que parece não ter fim. Mas só lá mais para o final do dia...

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Quem está de castigo e teve de levantar o rabo da cama quentinha para vir trabalhar, ponha o braço no ar!!

Já rimamos e tudo!

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Vamos lá acabar com este mito!

Ontem fui jantar com uns amigos. Como dois deles estão a viver fora do país, fomos às francesinhas, não fossem as crianças nascessem com cara de linguiça.
Ora, de todos os afamados tascos do Porto, que lutam pelo título de melhor francesinha, só nos faltava experimentar um: O bufete Fase, que todo mundo dizia ter as melhores das melhores.
E tenho a dizer que... Estão enganados. Não são, de todo as melhores. Falham ali várias coisas que, para mim (que isto gostos não se discute) arruínam totalmente uma francesinha como deve ser: 

  1. O molho era muito fino
  2. O pão ficou empapado e mole
  3. Não tinha ovo
  4. As batatas eram das congeladas.
Se eu sou muito esquisita? Pá, talvez. Mas nisto das comidas que têm calorias para uma semana inteira, eu tenho um lema: A fazer mal, pelo menos que seja como deve ser! 

Curiosamente, a melhor francesinha que comi até hoje - aliás, é melhor não dizer isto assim, para não não vir cá um tripeiro insultar-me - a minha francesinha preferida é em Braga, Lamentavelmente, meus caros, é verdade. As da Taberna Belga ou da Taberna Holandesa são perfeitas! Antes disso a minha preferida era lá na terrinha. Mas depois de ter experimentado estas, parece que nenhuma outra está à altura. O molho maravilhoso, com a textura e o sabor certos, o ovinho lá em cima, a pedir para furar a gema com as batatinhas fritas a sério (as outras não são a sério). Hummmm... Ca boas!

Portanto, no Porto, o Café Santiago continua a manter a coroa das melhores francesinhas, embora eu também goste bastante das do Cufra!

Se algum amante desta bela iguaria quiser partilhar outros locais de culto, faça favor, para a malta ir lá experimentar!.

Ah, e Bom Natal!

domingo, 18 de dezembro de 2016

Tenho uma cadela a pilhas sem nome!

Tenho uma mini cadela. Raio da bicha é fofa que se farta. Só não tem nome ainda. Eu chamo-a de Pipoca, a minha mãe de Kika e o meu pai, de qualquer coisa que lhe venha à cabeça. Diz que um dia destes sai o nome perfeito. 

E vós? Achais que ela tem focinho de quê?


sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

E eu que ia estragando o pipi pela segunda vez??

Não, não voltei a andar de bicicleta. Mas entornei uma chávena de chá no colo e, por alguns segundos, pensei que ia ficar toda queimadinha! Vá lá que dei um pulo e me levantei em menos de um segundo, para o chá não escorrer para locais, digamos, ainda mais sensíveis e onde, por sinal, já existe uma cicatriz. Após o choque de calor, veio o frio gelado, de estar toda molhada. Por sorte tinha a mala no carro e acabei a trocar de roupa num parque de estacionamento deserto. Coisas da vida!

Dois dias depois fiz a empregada do café espalhar um descafeinado a meio milímetro de mim. E do meu casaco. Novo. Amarelo torrado. Lindo de morrer. Felizmente continua limpinho.

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Continuar ou não continuar, eis a questão.

A segunda metade de 2015 e a primeira metade (mais um bocadito) de 2016 foram meses de caca. O que faz com que tenha tido mais de um ano de merda. Todas as reviravoltas que vivi nestes tempos, muitas das quais não foram aqui relatadas, acabaram por me afastar do blog. A vontade de escrever (ou de fazer o que quer que fosse) era pouca. E também deixei de acompanhar os que seguia. Comentar então, nada. 

Por isso dou comigo num dilema. Fechar ou não o tasco. 

Se, por um lado, tenho vontade de criar um blog novo, totalmente anónimo, para escrever o que me der na telha sem pensar que alguém que eu conheço está a ler, por outro, sinto que este é o meu canto. Onde, durante quase quatro anos, contei as minhas aventuras e partilhei os meus dilemas. E não foram poucos!
A continuar, vou ter de ganhar coragem e preencher as lacunas que fui deixando ao longo dos últimos meses. E não sei se tenho vontade de revisitar tudo o que se passou. Ao mesmo tempo, acho que devo isso às que me seguem pessoas (agora, provavelmente, muito poucas) e que acompanharam o início e a continuação de uma história que entretanto teve um fim. 
Pode ser que a mudança de ano me inspire a continuar, pelo menos até aos 39. Porque quando chegar aos 40, claro, há que fazer um novo blog!

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Wanted: mala preta de verniz!

Senhora minha mãe foi bastante específica na prenda de Natal que quer este ano. Uma mala preta de verniz!
E eu pergunto onde raio vou eu desencantar uma! Se não precisasse, tenho a certeza que ia chocar com umas quantas. Mas como quero muito encontrar uma, já quase consigo imaginá-las todas a esconderem-se no escuro das prateleiras. É sempre isto.
Portantos, se alguém se cruzar por aí com uma mala preta de verniz gira, faça o favor de gritar!

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Desconfio seriamente que estou a morrer...

Ou então é só uma constipação. Mas juro que parece que estou a morrer.


Talvez, bem lá no fundo, também eu seja um gajo!


sexta-feira, 18 de novembro de 2016

É sexta-feira e a semana passou a correr. Como todas as do último mês, desde que comecei este trabalho. E não houve um único dia em que não me apetecesse levantar para ir trabalhar. 
Finalmente! 

sábado, 12 de novembro de 2016

Momentos de insanidade sentimental.

Alguém, por favor, me impeça de ver filmes lamechas, antes que eu vá ali cortar os pulsos de vez. 

Fuck, fuck, fuck.

A partir de agora, só filmes de terror para mim.

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Fim de semana de gajas.

Após ter conseguido, finalmente, arranjar um quarto mais ou menos decente (apartamentos para uma pessoa têm mais procura que a Zara em saldos), que vai servir para desenrascar nos próximos dois ou três meses, no fim de semana fui com as amigas relaxar para o Gerês.
E digo-vos que apanhei melhor tempo do que quando lá estive no verão! Sou a única que não acha normal este calor? Eu adoro outono com sol, mas mais de 20 graus, dispenso. Parece que até o S. Pedro anda louco.
Mas pelo menos vim de lá de alma lavada. Foi descansar, passear, rir, comer e conversar com as amigas. O verdadeiro fim de semana de gajas. Mesmo a calhar, depois deste período conturbado de mudanças e stress com a procura de um teto. 
Venham mais como este!

sábado, 15 de outubro de 2016

Arranjar um apartamento decente, que é como quem diz, T0 ou T1 mobilado e arranjadinho, com uma renda que não me leve o ordenado quase todo, está a ser como encontrar uma agulha no palheiro. 
Voltar a viver no Porto é muito lindo, mas convinha não ser debaixo da ponte. 

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Vamos entrar em obras!

Eu sei que a versão mobile aqui do tasco está com um problema qualquer e mal se consegue ler. De certeza que tem a ver com o facto de eu ter andado a mexer no código da página! para desenrascar mudei para um fundo mais claro e deixei só ativa a versão web, mas prometo que nos próximos dias resolvo a coisa como deve ser!

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Este bicho que nos mói cá dentro.

Os meus níveis de ansiedade andam assustadoramente elevados. Droga natural já não faz efeito. Tabaco está demasiado caro. É bom que eu comece a mexer o rabo e a fazer algum exercício físico. Senão, por este andar, começo a dar nas drogas a sério...

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Já quero acreditar em tudo.

Ó minha gente! Eu sei que este blog anda praticamente ao abandono. Mas não desistam já, que eu prometo que a coisa vai melhorar. Quem disse que 2016 ia ser um ano fácil? Ninguém, pelos vistos. Segundo a malta do horóscopo, estes anos bissextos só servem para nos tirar tudo do sítio. 
A boa notícia é que, a partir de Setembro / Outubro, a coisa tende a melhorar. Dizem eles. E eu quero acreditar que sim. 
Também dizem que Setembro é o mês das mudanças. E eu quero muito, muito acreditar que sim. Convém é que esta corra melhor que a última. 

Ouvistes, ó Universo???

Agradecida. 

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

E começa a desgraça com a nova coleção!

Há alguns meses que ando atrás de umas sapatilhas para usar no dia a dia. Tenho alguns pares, mas são todas de corrida, logo, demasiado desportivas para trabalhar. E como o meu querido neuroma está cada vez pior, enquanto a cirurgia não chega, preciso mesmo de calçado confortável.
Já tinha corrido imensos sites e lojas e até experimentei as sapatilhas da moda, mas aquele modelo não fica nada bem no meu pé. 
Ontem fui ao shopping com uma amiga e entrámos na Salsa. Olho para os pés de um manequim e... Tcharan! Umas sapatilhas lindas de morrer! Olhai só:






Azul marinho, como não poderia deixar de ser, e mistura de materiais, mas simples. Pelo menos são diferentes, já que agora só se vê Adidas por todo o lado. 
E o melhor é que vou poder andar com elas no Outono e no Inverno, porque a qualidade é mesmo muito boa. Por falar nisso. Sou a única que já está farta de andar de sandálias? É que já comecei  ver botins, collants e casacos. O Outono demora muito??

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Posso começar a dar na droga?

Acabaram as férias.
Tinha tanta vontade de voltar ao trabalho e aturar esta gente, como de fazer uma colonoscopia sem anestesia.

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

De coração partido.

O meu melhor amigo vai trabalhar para a Polónia. E agora?

Andar de perna à mostra é muito bonito, mas...

Estão a ver quando estão de saia, vestido ou calções, sentadas uma hora seguida numa cadeira, daquelas de napa ou plástico, sem se mexerem, até que se levantam de repente e a dor é tanta, que mais parece que acabaram de deixar a pele das pernas coladas no assento?
Acabou de me acontecer...

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Vá de retro!

Estou cada vez mais rodeada de cobras neste trabalho. Aliás, chamar-lhes cobras é insultar as bichas, que são tão lindas. 
Rais parta esta gente que só está bem com o mal dos outros e só está bem a fazer queixinhas.

Havia de lhes cair a língua!

terça-feira, 9 de agosto de 2016

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

A precisar de férias. Desesperadamente.


Não tarde começo a fazer como  canalha: Falta muito para as minhas férias??? Falta muito para as minhas férias??? Falta muito para as minhas férias??? Falta muito para as minhas férias??? Falta muito para as minhas férias??? Falta muito para as minhas férias??? Falta muito para as minhas férias??? Falta muito para as minhas férias??? Falta muito para as minhas férias??? Falta muito para as minhas férias??? Falta muito para as minhas férias??? 

Diz que faltam uns nove dias. Nove longos dias...





sexta-feira, 29 de julho de 2016

Os dilemas de se trabalhar no meio dos gajos.

Não tarda vou começar a usar burka no trabalho. 
Um dia destes trouxe um vestido, que nem era nada curto, mas com corte justo. Nas primeiras horas pensei que estava a ficar maluca e que era impressão minha, mas ao longo do dia percebi que estava mesmo a acontecer: Tudo o que era gajo (e neste empresa há muito gajo) se punha a olhar de cima a baixo. Até o comercial que eu ia jurar que é gay.

E hoje já dei com um gajo (pelos vistos é meio tarado e foi já chamado à atenção pela forma como se comportou com uma cliente) a olhar, descaradamente, para as minhas mamas. 
Apeteceu-me dizer: "Amigo! Não te entusiasmes muito, que estes sutiãs da Intimissimi fazem milagres". E o que eu trago, de facto, faz. 
Tanto que nem o usava, porque ficava com as mamas quase debaixo do queixo. Mas como estive uns dias doente e perdi uns dois quilos, aqui as minhas amigas perderam logo volume (podia ser na barriga, nos braços ou nas coxas. Mas não. Tinha de ser nas mamas) e já o posso usar, pensava eu, sem dar demasiado nas vistas. 
Pelos vistos enganei-me. 


terça-feira, 26 de julho de 2016

Um ano depois do acidente mais estúpido da história do quase ciclismo

Há um ano atrás, por esta hora, eu estava esticada numa cama de hospital, com o pipi todo estragado. E isto soa mal pra caramba.  
Antes que pensem coisas piores, recordo que fez ontem um ano que tive o acidente de bicicleta.
Relato completo aqui.

Um ano depois, o pipi está como novo. Diz a médica que se nota uma cicatriz. Não, não fui verificar. 

domingo, 17 de julho de 2016

Qual é a probabilidade de, com este calor, eu estar a ficar doente??

Muito elevada. Demasiado!
Qual é a probabilidade de eu estar a ficar doente com este calor?

Muito elevada. Demasiado!

sábado, 16 de julho de 2016

Estou quase, quase de volta.

Eu sei que este tasco anda parado, sem grande sentido nem vontade e enfadonho. Como eu. A minha escrita reflete, sempre, o meu estado de espírito. Não consigo evitá-lo. Mas estamos a melhorar. E prometemos, eu e o blog, que muito em breve voltamos à velha forma. 
A Lois Lane andava um bocadinho perdida, mas parece que o GPS já está outra vez a apanhar sinal. 

segunda-feira, 11 de julho de 2016

Over and over again.

Há cerca de dois meses que, todas as semanas, um indivíduo me convida para lanchar ou tomar café. Todas as semanas eu digo que não posso, porque tenho de trabalhar, limpar, ir à manicura, ao curso de formação ou ao raio que parta. 
E o gajo continua, semana após semana, a convidar. 
E eu pergunto-me. Aliás, a vocês: Afinal, quantas negas tem uma pessoa de levar, até perceber que o outro lado não está mesmo para aí virado?

sexta-feira, 17 de junho de 2016

De olhos em bico!

Hoje tive de ir ao computador de um dos comerciais, um senhor com cerca de 60 anos, para o ajudar a passar uns documentos para pdf. Depois de fazer o download de um ficheiro, abri a pasta das transferências para o ir buscar. 
Abro a pasta e o meu primeiro pensamento foi: Tanto ficheiro. Que raio de confusão. 
Nisto, eis que sobressai no meio das miniaturas uma pila. E mais outra... E mamas. E mais mamas!

Quando me apercebo que aquela merda está repleta de ficheiros pornográficos, fecho a pasta muito depressa, na esperança de que o rapaz que estava ao meu lado (que foi estagiário desse comercial e que agora trabalha com ele) e que estava a olhar para o que eu estava a fazer, não se tivesse apercebido.

Tive de me conter muito, para não começar ali à gargalhada!

Ainda por cima o senhor tem sempre um ar tão sério, de homem de família, com a sua quinta no Douro e as suas oliveiras. Parece que os três dias que passou no Alentejo, a visitar clientes, foram bastante ocupados... 

segunda-feira, 13 de junho de 2016

Trinta e quantos??

Diz que ontem fiz 34 anos. 34. Trin-ta-e-qua-tro.

Para mim, aniversários são mais ou menos deprimentes, pelo menos nos dias que antecedem a data. Mas aniversários são, sobretudo, a altura de fazer um balanço. O que me deixa ainda mais deprimida. Tenho a sensação de já ter vivido praticamente metade da minha vida e não ter feito nada de jeito.

Os 33 foram uma valente caca. Vamos esperar que os 34 tragam alguma calmaria a este mar revolto e que sejam bem mais felizes. Estou a tentar fazer por isso.

Façam figas.

sexta-feira, 10 de junho de 2016

Desabafo de uma ex-otimista

Já leram o livro 'O Segredo'? Eu também não. Mas conheço a teoria. E, mais ou menos, sempre a defendi. Passei a minha vida toda a dizer às pessoas que me rodeiam que têm de ser otimistas e ter pensamento positivo, para que as coisas boas se concretizem. 
Eu, quase sempre otimista por defeito, que acredito sempre que tudo vai dar certo, estou na fase: Quero que isto tudo se foda. Esqueçam lá isso do "não devias escrever palavrões", porque é das poucas terapias que me restam. É isso ou ir ali ao tasco comprar um maço de tabaco.
Parece que a minha vida entrou numa espiral negra, em que já muito pouco escapa. 

Até há algum tempo, eu achava que era impossível tudo estar bem na nossa vida. O amor, a saúde, a família, o trabalho. Havia sempre uma destas vertentes que não corria tão bem, como numa espécie de equilíbrio em que a nossa vida se mantém. E vivia perfeitamente bem com isso. Por a proporção era, por norma, de três partes boas, para uma má. 
Quando este equilíbrio começa a desaparecer e a pender para o negativo, torna-se difícil conseguir visualizar as coisas tal como queremos que aconteçam (lá está, o 'Segredo') e começamos a resvalar para o lado dramático, em que parece que já adivinhamos os piores cenários. 

Não tenho escrito, porque não tenho tido vontade. Porque não queria partilhar esta fase má com os meus leitores (se é que ainda vem cá alguém, após tantas semanas de abandono). Porque odeio as pessoas que passam a vida a queixar-se de tudo e não quero ser uma delas. Porque não quero nem gosto que os outros saibam que a minha vida não corre tão bem como imaginam. Porque não gosto de dar parte de fraca. 

Mas agora que deixei os dedos correrem o teclado, percebo a falta que me tem feito. Porque, de facto, às vezes faz falta partilhar estas coisas, sem ter de cair no papel de vítima. 

Não sou uma vítima. Tenho tomado más decisões. Bastantes. Muitas vezes seguidas. Sendo responsável pelas minhas ações, jamais poderei ser uma vítima. Só tenho de aprender a lidar com elas, já que sou daquelas pessoas que anda meia vida a recriminar-se pelas coisas erradas que fez há 20 anos atrás. 

Um dia, quem sabe, aprendo a aceitar e a seguir em frente.

Este texto foi escrito em menos de cinco minutos e publicado sem qualquer revisão. É assim que deve ser. Um desabafo. 

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Este nem com make up lá vai.

A minha cara sempre que olho para as orelhas do Agir.



A minha reacção sempre que ouço o Agir a cantar.



Que quereis? Tenho um ódio de estimação pela criatura. E depois de lhe ter sido entregue o Globo de Ouro para Melhor Intérprete Individual, tenho a certeza de que este mundo está perdido.

segunda-feira, 9 de maio de 2016

E Primavera, não??

Passei este fim de semana na Modalfa e trouxe um blusa mesmo gira. Agora só falta vir o bom tempo para a poder usar... Se até lá não passar de moda! Que por este andar, não há Primavera para ninguém...
Adoro roupa de Inverno, mas já começo a ficar um bocadinho farta de botas e casacos grossos. Por isso, S. Pedro, vê lá se atinas e mandas um solinho, para o mulherio poder passear os trapinhos novos!

Já agora, foi esta blusa:


Podem comprar igual, que eu não sou invejosa! :p

sábado, 7 de maio de 2016

Um dia mordem a língua e morrem envenenadas.

Se eu gosto da minha terrinha? Muito. Se gosto das pessoas que vivem na terrinha? Tirando meia dúzia, não! 
É gente que não tem o que fazer e que gasta demasiada energia a falar da vida alheia. Ainda por cima dedicam-se à arte da divinação e inventam histórias do arco da velha. 
Parece que desta vez me calhou na rifa ser o alvo.

Já disse que odeio pessoas?

sexta-feira, 6 de maio de 2016

O meu reino por um cigarro!

Volta e meia sonho que estou a fumar. No sonho fico sempre com um terrível peso de consciência. Há duas noites atrás, o meu subconsciente deixou-me fumar à vontade! Com direito a maço de tabaco e tudo.

Oito anos e cinco meses depois de ter deixado o tabaco, sem nunca mais ter fumado um único cigarro, ando a morrer de vontade de o fazer. Acho que nem nos primeiros tempos tive tanta vontade como agora. Mas tenho de me mentalizar que não posso!

Alguém me dê duas chapadas, por favor.



sexta-feira, 29 de abril de 2016

Sabeis aquelas alturas em que parece que só fazemos caquinha atrás de caquinha?
Pois no meu caso já dura há uns meses. Aliás, estou perita nisso.

Mood of the day. And week. And month:



segunda-feira, 18 de abril de 2016

Dilemas, dilemas...

Estou aqui com uma dúvida existencial, daquelas deveras profundas que, muito provavelmente, só as mulheres vão entender!
Fazer ou não um alisamento progressivo!

Como sabeis (ou não) eu tenho o cabelo encaracolado. Mas não é muito encaracolado. É assim assim. Desde que comecei a usar mais curto, perdeu os caracóis definidos e fica com uma espécie de ondas estranhas. Basicamente, tenho duas opções: estico, para ficar impecável, ou ponho espuma para andar encaracolado. 
Sem nada não é opção, porque fica tipo juba, ondulado e com imenso volume.

Ora eu sempre achei que isso dos alisamentos era coisa para dar cabo do meu rico cabelinho, que nem tinta leva. Até ver o resultado, diariamente, em duas colegas de trabalho!
Basicamente, a filha de uma fazia. Adora. A outra também quis experimentar. Adorou. Vai daí, a mãe (que tem um cabelo 30 vezes mais seco e mais estragado que eu meu) também decidiu fazer. E está tãooo melhor, que estou seriamente tentada. 

Quase que já me consigo imaginar, no verão, a sair da água e a poder deixar secar o cabelo solto, como uma pessoa normal, sem ter de o prender logo, para não acharem que anda um bicho à solta na piscina!

E podia fazer franja!! E cortes manhosos!!!

O senão, é que lá se vão os caracóis. E é essa  minha dúvida... Continuar a alisar com a prancha e poder variar de estilo, ou deixar de ter trabalho e andar sempre de cabelinho liso e impecável.

Eu disse que era uma dúvida muito profunda...

quarta-feira, 13 de abril de 2016

Às vezes (muitas) odeio mesmo as gajas.

Adoro quando as pessoas (invariavelmente são mulheres), a propósito do meu verniz durar muitos dias, de eu arranjar tempo para ginásio ou de outra coisa qualquer, me dizem:
- "Ah, mas tu se calhar não cozinhas".
- "Ah, mas tu não fazes o que eu faço em casa".
- "Ah, mas tu não lavas a loiça".

Não gente! Claro que não! Eu tenho um preto em casa, escondido no armário, que faz isso tudo por mim. E nem preciso de lhe pagar.

Ide pro railo que vos parta. Tá?

quinta-feira, 7 de abril de 2016

Sacana do gajo!

Conversa de final de tarde:

Pessoa-que-vê-bem-demais-para-o-meu-gosto: Ah. Tens aqui um cabelo branco.
Eu: Impossível. São cabelos muito loiros.

P: Não não. É mesmo um cabelo branco.
Eu: Não. O meu cabelo aí nasce sempre muito claro. Parece branco, mas é loiro.

Pessoa observa novamente.

P: Lamento, mas é mesmo um cabelo branco. 
Eu: Quê??? Deixa ver!!

P: Não dá. É muito pequeno. 
Eu: Lá está! Porque é um cabelo novo! É loiro!!

P: Queres que arranque para tu veres??
Eu: Não! Eu arranco! 

Às apalpadelas, lá arranco o cabelo.

P: Eu não disse que era branco?
Eu: Isto não é branco! É loiro! Não é?....

P: Não. É mesmo branco. 
Eu: Mas eu não tenho cabelos brancos... Ou não tinha... É o primeiro. O MEU PRIMEIRO CABELO BRANCO!! Buááááá!!!

E é isto. Aos 33 anos, dei com o filho da mãe. 

quarta-feira, 6 de abril de 2016

Atchiiiiim!!

Estou cá desconfiada que, se continuo a espirrar com esta força, a minha colega da frente ainda vai levar com um pulmão na testa.

quinta-feira, 31 de março de 2016

Isto de ser uma pessoa idosa...

Na terça feira fui ao ginásio fazer a avaliação inicial e aproveitei para fazer uma aula de 3B. No final, diz a professora: "Quem veio pela primeira vez, amanhã vai-se lembrar de mim".
Ontem de manhã, levanto-me tranquila, sem dores. E penso. "Ah! Altamente! Não me dói nada. Fraquinhos pá!".
Depois de almoço comecei a ficar dorida. 24 horas depois, começaram a doer as pernas.
Hoje de manhã pareço uma velha a sentar / levantar, subir e descer escadas.
Sim, senhora professora. Lembro-me perfeitamente de si....

Moral da história: nunca fiquem meio ano sem ir ao ginásio. 

quarta-feira, 23 de março de 2016

Bora mexer o rabo!

Após oito meses sem mexer o rabo para quase nada, fui finalmente ao ginásio. Já me tinha inscrito quase há um mês, mas sem pôr lá os pés. Aposto que muita velhota de 70 anos está em melhor condição física que eu! 
Ontem, para começar devagarinho, fui ao pilates e à piscina. E não é que soube mesmo bem? 

Não é propriamente o mesmo que correr... Mas sempre ajuda qualquer coisa. 

segunda-feira, 21 de março de 2016

Não tarda desço a rua a rebolar.

Acabei de me pesar. E levei um susto. A minha balança de casa andou a enganar-me este tempo todo!
Será possível que a roupa e o calçado pesem três kgs?? Não, pois não? Também me pareceu.

Assim sendo, já escolhi o outfit que vou usar na praia este verão.




Agora a sério. Eu ando a comer descontroladamente. Juro. Se alguém souber como travar isto, por favor, gritem.

domingo, 20 de março de 2016

terça-feira, 8 de março de 2016

Apedrejadores Facebookianos

Começou a circular na internet, um dia destes, a história de uma canadiana, modelo de fitness, que está grávida. Ora, o JN não perdeu tempo, e vai logo de fazer uma notícia, comparando a moça à Carolina Patrocínio, já que as duas estavam numa forma física muito semelhante.
Já nem vou comentar o facto do JN fazer disto notícia, porque a coisa tem vindo a piorar muito por aqueles lados e, não tarda, são o Correio da Manhã do Norte. 
O que me deixou mais chocada foram os comentários que as pessoas deixaram no Facebook, naquela publicação. É que fiquei mesmo de boca aberta com a violência verbal! Que as pessoas critiquem, já é normal. Mas de uma maneira tão agressiva e ofensiva, chega a ser assustador. 
Se é mais bonito ver uma barriga redondinha? Pá, se calhar. Eu não gosto de uma nem de outra, por isso tanto me faz. Mas daí até darem-se ao trabalho de ir lá escrever determinadas coisas... Eu juro que tenho medo daquelas pessoas.
Faz-me lembrar a malta lá do outro lado que apedreja as mulheres em praça pública. A sorte é que os comentários não fazem mossa física. Já psicológica... Ainda bem que estas pessoas não têm pedras na mão para atirar. Porque se tivessem, tenho a certeza, bastava o primeiro. E depois íamos ser iguais aos que passamos a vida a criticar.

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Não acreditando nessas coisas das previsões astrológicas, o facto é que, em todo o lado, a descrição do meu signo bate sempre certo com a minha personalidade. De todas as características apontadas, acho que não falho uma. Sou a verdadeira gaja Gémeos. 
Se isso é bom? Pá... Para mim, na maior parte das vezes, sim. Tem dias que nem por isso. De vez em quando cansa ser assim. Para os outros? Depende.

E agora perguntam vocês: Atão mas isto vem a propósito de quê? Nada de especial. Só acho que há pessoas que não veem aspectos essenciais em mim. Mais lhes valia ir ler os signos. 
E quando o complicómetro decidi ligar sozinho e teima em não desligar? Pois. É uma merda.

Quereis um conselho??

Se não mexeis o rabo há mais de meio ano, como eu, não tenhais a triste ideia de ir experimentar uma aula de crossfit. Ide primeiro fazer uns exercícios, de modo a evitar que vos aconteça o mesmo que a mim: os seis minutos de aquecimento acabaram logo comigo e hoje tenho uma série dificuldade em subir e descer escadas, sentar e levantar da cadeira. Amanhã vai doer mais. Ai...

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Será??

A sério que não há Lefties em Braga? Ou ando a ver mesmo mal e a internet está a enganar-me? Comé que pode? Eu preciso de lá ir às camisolas!

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Acho que vou hibernar.

Já não me lembro há quantos anos não vestia uns collants por baixo das calças. Mas hoje, minha gente, teve de ser. Está um frio em Braga, que não se pode! Tal e qual como na terrinha. Ca-re-do!

Quando sair do trabalho vou ao shopping comprar roupa. Quente. Camisolas. De malha. Quentinha. Brrrr....

domingo, 14 de fevereiro de 2016

Atão hoje é dia dos namorados e eu não escrevo nada sobre isso??

Bom, aqui vai: Por estes lados, finalmente parou de chover. Acho que vou tomar um banho e sair à rua. Antes que ganhe bolor, de tanto tempo metida em casa.

É isto. Odeio o Dia dos Namorados. Quando era solteira não podia dizer isto, sem ter logo alguém a lançar a farpa: "Ai, só dizes isso porque estás sozinha". Pá, não. Agora digo exactamente a mesma coisa. Felizmente o FM é cá dos meus e não vai nessa história de trocar prenda pirosas só porque é  14 de Fevereiro. 

Gostam de ir a restaurantes / cinemas / parques lotados de gente?? Força! Eu prefiro ir em dias 'normais'. De preferência quando não houver coisas cor de rosa em forma de coração por tudo quanto é lado.

É. Sou uma romântica. 

Seis motivos para ver iZombie

Não sei se já disse que ando a ver a série iZombie. Não é bem o meu género, mas tem piada, é descontraída e vai dando para rir. Ao mesmo tempo, tem alguns argumentos que, aposto, vai fazer com que vocês também passem a ver a série. 
Há argumentos para todos os gostos minha gente. Comecemos:

 1. Blaine: O vilão da história, que transformou aquele povo todo em zombie, incluindo a protagonista. Traficante de droga, zombie, ex-zombie.






2. Ravi: O médico legista que é amigo e colega de trabalho da protagonista. Nunca foi zombie e tenta arranjar uma cura para a amiga.






3. Drake: Zombie com pinta que trabalha para o vilão, mas que no fundo parece ser boa pessoa. Zombie.







4. Lowell. Gajo lindo de morrer que aparece na primeira temporada e se envolve com a protagonista. Zombie. Agora morto. De vez.






5. Peyton: O mulherão lá do sítio. Eu que sou gaja e hetero, fico de olhos em bico sempre que ela aparece. É que é linda de morrer! Até agora, não é zombie. 






6. Major: Porque eu gosto de deixar sempre o melhor para o fim. O homem sorri e toda eu fico a babar para o computador. Anda metido nuns negócios muito manhosos. Ex-namorado da protagonista. Ex-zombie.  











Agora, digam-me lá: De certeza que não querem começar a ver a série??