quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Desconfio que um dia destes tenho uma overdose de massa. É o meu chocolate!

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Se arrependimento matasse...

Eu já estava mortinha e enterrada! Perdi a viagem a Londres porque tinha de faltar a três sessões da formação e andava a dar uma coisa que não lembra ao diabo e que para mim é pior que chinês. Conclusão? Dei outra coisa completamente diferente nesses dias... Bah!

Quando é que algumas pessoas vão perceber que o Linkedin não serve para engatar miúdas??

Volta e meia recebo no Linkedin pedidos de conexão oriundos de pessoas deveras estranhas e cujas áreas de trabalho não têm rigorosamente nada a ver com a minha.
Acho que já aqui contei a história do cromo que me adicionou e depois começou a enviar SMS's e a convidar-me para sair. O anormal fazia uma pesquisa por localização, via as fotos das gajas e depois ia ao ataque. E como é que ele descobriu o meu número de telemóvel?? Escarrapachado no meu CV, que estava anexado ao perfil... Dah!

sábado, 21 de novembro de 2015

Decisions, decisions... Help???

Ora cá vai mais um dilema. Este é dos bons. So focus please people!

Fui seleccionada para um trabalho interessante, numa empresa de renome. Mas (há sempre um mas, não é?) existem vários 'senãos'.
Primeiro: O contrato será feito através de uma empresa de trabalho temporário.
Segundo: A empresa quer que eu assine uma coisa que descobri ser denominada de Pacto de Permanência. Como o cargo exige formação específica, não me posso despedir antes do final do contrato, caso contrário tenho de indemnizar a empresa relativamente aos gastos que teve a formar-me. 
Terceiro: O ordenado não é grande coisa.

O meu grande dilema aqui prende-se mesmo com o Pacto de Permanência. E se eu não gosto daquilo? E se não me dou bem? E se aparece uma coisa melhor?? Para além do ordenado, claro.. O meu subsídio de desemprego é mais alto do que o salário que me propõem, mais o subsídio de alimentação. Oferecem também prémios mensais de produtividade. Mas e se corre mal?

Depois, as vantagens:
Primeira: Ia deixar de estar desempregada.
Segunda: Ia ter formação e ganhar experiência numa área que me agrada e na qual gostava mesmo de investir.
Terceira: Os escritórios são num edifício brutal.

Posto isto, devo dizer que estou como o tolo no meio da ponte. É que a partir do momento em que aceitar, acabam-se as entrevistas para novas oportunidades de trabalho, sendo que não vou poder andar a faltar sem mais nem menos. E se vierem melhores oportunidades? Janeiro já não está longe e eu acredito que é nessa altura que as empresas mais contratam.
Depois, o processo de recrutamento foi tão rápido (dois dias! Querem que assine os papeis na segunda e comece a formação na terça) que me deixa de pé atrás. 
Por outro lado, penso se não estarei a perder uma boa oportunidade, sendo que pode não aparecer nada melhor tão cedo...
E pronto. É o dilema deste fim de semana. Agora digam-me lá que raio faço eu, já que tenho de tomar uma decisão até segunda-feira.

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Deve ser TPM...

Ando tão sem paciência, que até tenho dificuldade em aturar-me. Quanto mais os outros!


Tudo me irrita. Tudo! Não podem simplesmente deixar de falar comigo e esquecer que eu existo?

Let's talk about zara!

Recordam-se de ter falado da coleção da Zara? Pois bem, a desgraça começou.
Este já cá mora:


Mas são tantos os vestidos curtos com padrões giros! E os calções senhores? Ai os calções!

terça-feira, 10 de novembro de 2015

Um amor louco!

Nasceu a minha afilhada! E é a coisa mais bonita que eu já vi!! Estou apaixonada por aquela coisinha minorca que hoje sorriu para mim! (Eu sei que foi um acto reflexo. Mas não interessa!).
É tão perfeita, que dá vontade de não largar mais! My sweet love!




A parte má disto tudo: Agora tooooda a gente pergunta quando é a minha vez. Fiu fiu fiu...

Dilemas, dilemas...

Já disse que odeio ter de tomar decisões difíceis?

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Zara: A minha nova desgraça?


Nunca fui gaja de fazer compras na Zara porque raramente via alguma coisa de que gostasse à séria. Ou então se calhar é só mesmo porque quase nunca lá entro.
Ontem lá fui eu pela loja dentro, direta à secção de criança, porque queria procurar um vestido que vi na net para a minha princesa-mai-linda-que-nasce-pra-semana. E não é que esbarrei num monte de vestidos e calções que adorei? Para mim. Não para a cachopa. 
Uma pessoa fica oficialmente desempregada e não pode sair à rua, que fica logo tentada a gastar dinheiro. Mesmo nas lojas mais improváveis. Pff!