quarta-feira, 29 de julho de 2015

Terrinha: a produzir personagens desde 1513 - Parte II

As coisas que eu descubro nesta terra!
Um dia destes, estava a estacionar o carro com a minha mãe, quando vejo uma mulher com um vestido vermelho justo e uma racha de lado, que ia quase até à cintura. Pensei: Coitada. Rasgou o vestido.
Só que não! Quando ela se aproximou percebi que não só era mesmo uma racha, como a parte da frente do vestido era tão pequena que se via o sutiã todo por baixo.
Esclareceu-me a minha mãezinha, mais conhecedora das gentes da minha terra, que aquela moça andava sempre naqueles preparos.
Nessa tarde, num aniversário, comentei a minha fantástica descoberta. Disseram-me logo: Atão! É a Coisinha Tigra! What?? Sim! Ela tem um Tigra amarelo e o nome do Face é Coisinha Tigra! E pelos vistos as fotos do Face são igualmente aparatosas.
Vai que tive logo de ir espreitar e descobri isto:

A IMAGEM QUE SE SEGUE PODE FERIR A SENSIBILIDADE DOS LEITORES MAIS INCAUTOS!


Ah pois é bebé! E os comentários?? Do melhor! Comé qué possível eu só ter descoberto esta personagem agora??
E nas vossas terras? Também há destas? Bota fazer partilha de cromos? Aposto que ganho!

domingo, 19 de julho de 2015


A minha colega de casa está às aceleradelas na varinha mágica. Estará a tentar sacar cavalo ou fazer peão com a sopa?


segunda-feira, 6 de julho de 2015

Em vias de me tornar uma ciclista profissional. Ou não.

Calma minha gente, que ainda não me esbardalhei de bicicleta! Não foi desta que se viram livres de mim. Ando é com a vida um bocado agitada e não tem sido fácil vir cá contar as novidades. Não tarda tenho de arranjar uma secretária para me organizar a agenda!  
A boa notícia é que me estou a entender com a Josefina (pá, não arranjei nome melhor para a bicha e ficou o primeiro nome que uma amiga minha lhe deu). O medo inicial está a desaparecer e até já andei a passear no meio de pessoas. Pessoas!! Que se mexem, andam e correm! E crianças! Criacinhas irrequietas que correm atrás de bolas! E todos adooooooram caminhar na faixa das bicicletas. Juro que não sei como não atropelei alguém! Estou a ver que tenho de equipar a Josefina com um instrumento sonoro, para as fazer fugir à minha passagem.
Na impossibilidade de ter uma buzina que grite: SAI DA FRENTCHIIII (se não for em brasileiro não tem piada. Quer dizer, tem, mas tinha de lhe acrescentar um CARALHO no final, para dar ênfase à coisa) e porque uma campainha está fora de questão, por ser coisa de criança e demasiado amaricada, estou fortemente tentada a adquirir uma coisa destas:


Em vez de andar aos gritos feita maluca, para as pessoas se arrumarem, agarro-me à gaita e toca de buzinar!