domingo, 15 de março de 2015

As 50 secas de Grey: provavelmente o pior filme dos últimos anos!

Ontem estive a ver as 50 Sombras de Grey. Com o FM. Na cama. 
...

Agora imaginem lá o que aconteceu! 
...

Nada! O FM adormeceu, de tão emocionante que o filme é. E eu quase fui pelo mesmo caminho. 

Agora que finalmente tive a oportunidade de assistir a tão proclamada obra cinematográfica, estou em condições de dizer, com toda a legitimidade, que o filme não é mau. Não senhor! É péssimo! Horrível! A sério que há gente a gostar daquilo? E nem estou a falar da história (que é ridícula) porque já tinha lido os livros (mais uma vez, tinha de perceber o porquê de tanto rebuliço). Tudo é mau: Os actores são maus (vá, a rapariga é só um bocadinho má. O gajo é mesmo horrível). As cenas são más e extremamente forçadas. A adaptação é má (sim, consegue ser pior que os livros). Não há ali nadinha, nadinha que nos faça sequer sentir um calorzinho na alma. Nem na alma, nem em lado nenhum! 
Juro que só me dá vontade de rir de cada vez que me lembro da cara do gajo a dizer: I don't do romance. I fuck! Não, a sério, cortem-me os pulsos porque é, provavelmente, dos piores filmes que vi nos últimos anos. Até o Twilight consegue ser mais interessante (pelo menos tem o moreno giro que anda sempre descascado). 

Já para não falar da história que encantou o mulherio de meio mundo e que me faz querer insultar muito, mas muito, a gaja que escreveu o livro. Nem é pelas palmadas ou pelos chicotes, que entre quatro paredes cada um faz o que lhe dá na telha, desde que seja consentido. É mesmo o ridículo de andar tudo a suspirar com uma história de amor em que o gajo, um controlador obsessivo e perseguidor, só naquela, faz chantagem com uma miúda inocente (e parva) e a tenta coagir a aceitar as cenas maradas dele: "Ah e tal, se queres ficar comigo tens de levar tau tau, chamar-me senhor e fazer tudo o que eu quero, mas não podemos dormir juntos, nem me podes tocar como os casais normais. Ou me aceitas (anormal e paranóico) como eu sou, ou não há Grey para ninguém e ficas sozinha, triste, virgem e pobre para o resto da vida".
Resumidamente, é mais ou menos isto!

9 comentários:

  1. sem tirar nem pôr, só ainda li o primeiro livro precisamente porque queria saber o que RAIO é que toda a gente falava. não sei se vou para o segundo e terceiro. o filme apenas se salva para ver o rapazinho em tronco nu. mas caladinho...

    ResponderEliminar
  2. Acho que este teu comentário ao filme é um exagero. Eu gostei bastante. Muito bem realizado e protagonizado. Acho que deves começar a pensar mais na sensibilidade das outras pessoas que acabam por ficar magoadas com este tipo de comentários. Comprei o bilhete antes, fui no dia de estreia, mas valeu a pena, sem dúvida. É pena que não juntem tudo no mesmo filme. Eu ficava seis horas na sala de cinema. Devo dizer que me desiludes cada vez que cá venho. Sinceramente, já nem era para comentar, mas acho que tenho esse dever. Lois, deves procurar um psicólogo. Não vejo mal nenhum no facto de outras pessoas gostarem do que eu não gosto e respeito, algo que deves começar a fazer. Se alguém quiser vestir um fato azul impecável e usar uns sapatos castanhos velhos, who cares? Se alguém estiver com a perna a tremer o dia todo, atual é o problema? Respeita os outros! E assim me vou, com o sentimento de dever cumprido.
    Beijinhos,
    Vanessa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho de acrescentar ali na descrição: Blog não aconselhado a pessoas sensíveis!
      Como já dizia o outro, as opiniões são como os pipis... Cada um tem a sua e 'dá-la' quando quiser! Sendo que não ofendi ninguém (a não ser, talvez, o realizador, os actores e a autora do livro... Mas também duvido que venham cá ao tasco!) sou livre de dar a minha modesta (e por vezes exagerada, mas eu sou mesmo assim) opinião acerca do que me rodeia.
      De resto, podem tremer a perna à vontade! Desde que seja longe de mim!!
      Não percebi foi a dos sapatos castanhos velhos. Por acaso há um gajo assim lá no escritório, mas não me lembro de ter feito um post sobre ele...

      Eliminar
    2. Cara Lois...
      eu já levo anos disto. Há dois anos e três meses que ando no mundo dos blogs e tu és uma das que mais agride as pessoas. Sinto-me triste quando cá venho. A humanidade está mesmo a bater no fundo, impressionante. As pessoas deviam prestar mais atenção àquilo que dizem e escrevem. Fico triste porque o que mais desejo é a felicidade de todos. E sei que o que aqui escrevo é subscrito pela maioria que lê este blog e tantos outros. Haja quem saiba distinguir o bem do mal. Eu faço voluntariado, e tu? Lois, hoje em dia as pessoas não creem em nada, não vão à igreja, não querem saber de Deus. Felizmente, não faço parte desse grupo. Gostava que me ajudasses nessa tarefa. Tu e outras bloggers têm essa missão - devem ajudar as pessoas a encontrar o seu caminho e a perceber que Deus está em todo o lado.
      Ele te abençoe, Lois.
      Beijinhos,
      Vanessa.

      Eliminar
    3. Tu és religiosa e vais à Igreja, mas andas a ver as 50 Sombras de Grey... Faz todo o sentido! É melhor marcares confissão para o próximo Domingo!

      Eliminar
    4. Oh Balha-me Sinhor! Quié isto, Lois Lane!

      Então tu além de não ires à igreja e não ires virgem pró casamento ainda te atreves a dizer que aquele filme porno para senhoras castas é uma bela duma bodega?
      Olha... vais diretinha para o inferno, sim?!

      Já agora, e como eu tenho a mesmissima opinião, por essa linha de pensamento, devo ir para o mesmo sítio que tu, lassim sendo a primeira a chegar guarda lugar, sim!?! Pode ser que nos deixem ver filmes erótico-badalhocos à séria!

      Eliminar
    5. Pelo menos por lá deve estar quentinho! Que a Primavera nunca mais chega e eu já estou cansada deste frio! :D

      Eliminar
    6. Se vocês pensassem mais um bocadinho antes de escrever, se calhar não saíam barbaridades destas. Cláudia, o filme não é erótico-badalhoco nem nada que se pareça. É um bonito filme sobre a vida de um homem que sofreu bastante e que agora vê refletida em si a sua infância. Eu sou religiosa, sim, desde há dois anos, altura em que ingressei na Igreja Universal do Reino de Deus. Nunca pensei que fosse uma ajuda tão grande para a minha vida. Não sabes do que falas, Cláudia. Bem, nem vale a pena eu estar aqui a esgrimir argumentos. Eu gostei do filme e esse é o meu ponto.
      Beijinhos.

      Eliminar
    7. Oh querida Catia V., sofrer sofro eu quando leio coisas como a Catia escreveu, até me faz doer a alma, tarefa dificil ja que sou ateia, veja lá!

      A cátia gostou, está no seu direito. Eu e a Lois nao gostamos, ponto final. Quem começou a tecer juízos de valor em funçao dos nossos gostos foi a Catia. Seja feliz com ou sem filmes eroticos, com ou sem religiao mas nao seja tacanha ao ponto de ofender gratuitamente pessoas que pensam diferente de si.

      Eliminar