segunda-feira, 23 de junho de 2014

S. João e, talvez, um gato!

Hoje é a noite mais animada do Porto! Como manda a tradição, vamos jantar lá em casa e depois ala para a rua de martelo na mão e garrafa de vinho debaixo do braço. Vamos ver se sou contagiada pela folia, que já nem eu me aguento neste estado vegetativo. 

Agora, uma coisa que não tem nada a ver! Ando seriamente a pensar arranjar um gato (já escrevi isto? Estou a ficar senil...). Sempre fui pessoa de cães, até porque era altamente alérgica ao pelo de gato. Com o tratamento que fiz há uns anos, a coisa melhorou, mas não sei como iria o meu nariz reagir a um bichano dentro de casa. Preferia um cão, é certo, mas ia ter de ficar o dia inteiro sozinho enfiado dentro de casa, p não me parece uma boa ideia. Os gatos sempre são mais autónomos... Pelo menos é o que dizem. O problema é que eu não percebo nadica de nada de gatos! Será melhor macho ou fêmea? Amantes dos felinos, ajudinha por favor!

8 comentários:

  1. Ora eu, amante de gatos por excelência, sou capaz de ser suspeita, mas ainda assim, vamos lá!
    ...um gato não te obriga a pores o rabo a pé da cama às 7h da matina, faça chuva ou faça sol, não obriga a ir passeá-lo à rua no mínimo três vezes por dia, mais uma vez, faça chuva ou faça sol.
    Um gato dá-te a flexibilidade de poderes passar a noite fora sem grandes preocupações, basta deixares o comedouro cheio e a areia limpa (quando chegares a casa vai olhar-te apenas com olhar de desprezo e fingir que não te conhece, pelo menos até lhe dar a fome!). Não roem mobilia, no máximo afiam as unhas no sofá e nos tapetes mas se forem educados desde cedo deixam de o fazer rapidamente.
    São, a meu ver, mais inteligentes que os cães e, vá, muito importante mais fofinhos!

    Aconselho um macho, porque são menos 'mimalhos' que as fêmeas e, ponto importante, a castração é muito mais barata, isto porque é importante que o castres para impedir marcação de território e uma sinfonia digna de prémio entre Dezembro e Março. De resto, vacinas é coisa básica de uma a duas visitas por ano à veterinária.

    ResponderEliminar
  2. Claramente precisas de um gato :D
    Eu desenvolvi defesas contra alergias por causa dos gatos ;)
    Se quiseres manda-me um email, mas sei tudo o que há para saber sobre gatos e também temos gatinhos na nossa associação à espera de serem adoptados. Gato ou gata é relativamente indiferente... Há quem diga que elas são mais carinhosas, mas já tive de tudo. O meu gato por ex, é um pacha, um mimo que só ele e só quer colo.
    Se tiveres dúvidas diz, mas acredita que é uma decisão espectacular :D não dão trabalho nenhum! E há imensos gatinhos a precisar de um lar.

    ResponderEliminar
  3. Conselho de quem adoptou 2, mas em tempos desfasados. Arranja logo dois de uma virada!
    Fazem-se companhia um ao outro, não exigem tanto mimo (mas acredita que o vão exigir na mesma) e ficas sempre descansada de cada vez que sais de casa por 24h se ele/a não se sente sozinho. Pois acredita que vais estar sempre a pensar no pobre do bichano sozinho em casa :)))
    Se adoptares adultos (ou quase adultos), melhor ainda! Já estão mais calmos, na maioria dos casos até já os adoptas esterilizados. Gatinhos bebés são adoráveis, mas são crianças autênticas :))))
    Boa sorte na procura de um gato que te adopte e acredita que vais ficar rendida desde o dia 1. Em relação às alergias, da mesma forma que, provavelmente andas a anti-histaminicos naquelas alturas criticas, com um gato isso mantém ou até desaparece (conheço alguns casos). O ideal talvez será fazeres uma experiência com gatos de amigos e passares algum tempo com eles e dares festinhas para ver como te sentes.
    Estou aqui a torcer :)))

    ResponderEliminar
  4. Sou uma cat person assumida. Tenho 3 felinos num apartamento. Não saberia viver sem eles. São mais independentes, apenas tens de te preocupar com a caixa de areia limpa, comida, e como já aqui disseram, passadas as vacinas e castração a partir dos 6 meses, uma a duas vezes por ano para vacinas e check up. Os gatos indoor duram anos e anos e anos. E sim, são bastante felizes. Dormem, brincam, e, ao contrário do que se diz, interagem e muito com os donos. Mas é quando lhes apetece. Os gatos são donos de personalidades fortes e vontades próprias. Mostram bem o que gostam e o que não gostam, logo a ideia de serem falsos é puro mito de quem não os conhece.
    Força aí. Não faltam meninos à espera de um dono.
    Ah, e tanto podes optar por um bebé, como por um mais jovem, ou mesmo adulto. Acredita que adoptar um gato adulto não é nenhum bicho de sete cabeças e o retorno que vem da parte dele é ímpar. Se optares por um bebé, como é normal, vais apanhar a fase das brincadeiras e asneiras. Fazem parte!
    Boa sorte! E qualquer dúvida, dispõe!

    ResponderEliminar
  5. Lois, sinceramente não te vejo com um gato! Desiste da ideia......desculpa mas é verdade! Compra um peixinho ;)

    ResponderEliminar
  6. Um só conselho: vai a uma associação ou vê as páginas deles na net e deixa que um deles te adopte (porque muitas vezes são eles que nos escolhem), sem pensar muito se é menino ou menina.

    (Já aqui falaram das pequenas diferenças entre eles - que não são muitas, por isso não vou estar a repetir o mesmo).

    ResponderEliminar
  7. Já andei a pesquisar algumas associações na zonas do Porto e Gaia. Um dia destes arranjo um tempinho e faço uma visita. Pode ser que me apaixone e traga companhia para casa! :)
    Obrigada a todas pelas dicas!

    ResponderEliminar