quinta-feira, 26 de junho de 2014

Depois do Harry Potter e do Hunger Games...

... Rendi-me à Guerra dos Tronos. Ou seja, troquei o Henry (Miller), que ficou mais ou menos a meio. 
Uma amiga emprestou-me o primeiro livro da saga e fiquei agarrada. Aliás, comecei hoje o segundo. Ainda não tinha visto a série, por isso está tudo a ser uma grande surpresa. Já me estou a enervar muito com algumas personagens, sinal de que estou a viver a coisa com intensidade. Acho que vou ficar agarrada!
Agora é pedir ao primo para sacar a primeira temporada da série, para ir vendo conforme for avançando na história. 

E, já agora, que me passe também os dois últimos filmes do Harry. Andei a repetir os filmes todos... TO-DOS! Tem sido uma espécie de terapia... 

Acabaram-se as férias no Brasil. Óptimo!

Terei sido a única alminha tuga que não esteve nem aí para os jogos da Selecção? Pelo menos não tive desilusões! Gostava era que o povo prestasse assim tanta atenção a coisa mais importantes. Tipo, escolher os próximos gajos que nos vão governar e outras coisas assim...

segunda-feira, 23 de junho de 2014

S. João e, talvez, um gato!

Hoje é a noite mais animada do Porto! Como manda a tradição, vamos jantar lá em casa e depois ala para a rua de martelo na mão e garrafa de vinho debaixo do braço. Vamos ver se sou contagiada pela folia, que já nem eu me aguento neste estado vegetativo. 

Agora, uma coisa que não tem nada a ver! Ando seriamente a pensar arranjar um gato (já escrevi isto? Estou a ficar senil...). Sempre fui pessoa de cães, até porque era altamente alérgica ao pelo de gato. Com o tratamento que fiz há uns anos, a coisa melhorou, mas não sei como iria o meu nariz reagir a um bichano dentro de casa. Preferia um cão, é certo, mas ia ter de ficar o dia inteiro sozinho enfiado dentro de casa, p não me parece uma boa ideia. Os gatos sempre são mais autónomos... Pelo menos é o que dizem. O problema é que eu não percebo nadica de nada de gatos! Será melhor macho ou fêmea? Amantes dos felinos, ajudinha por favor!

domingo, 22 de junho de 2014

Estou viva...

Apenas tão cansada, que mal tenho cabeça e força nos dedos para vir cá dar novidades. Já que não tenho nada de interessante para contar, mas vale não vir maçar-vos com devaneios pseudo-depressivos...

terça-feira, 17 de junho de 2014

Momento lamechas do dia

Fez, no dia do meu aniversário, dois anos que conheci o namorado e que decidi que era o meu futuro marido! Ele demorou mais um bocadinho a chegar a essa conclusão, mas a história vocês já conhecem!

Quem mos dera!

No sábado fui jantar com os amigos para comemorar o aniversário. Levei o bolo dentro de uma caixinha, por isso as velas iam de lado, e pedi no restaurante para guardarem. Quando chegou a altura de cantar os parabéns, pedi o bolo para a mesa. Ora, o querido do funcionário fez o favor de colocar as velas! E como é que vinham colocadas? 23!!!
Tão fófinho que ele é! E também deve ver um bocadinho mal... 

quarta-feira, 11 de junho de 2014

Tenho tido tanto trabalho, que só agora, a menos de meia hora de fazer anos, é que consegui entrar em depressão pré-aniversário.
Vésperas de aniversário são sempre boas para entrar em balanço e pensar na vidinha...

sábado, 7 de junho de 2014

É triste, não é?

Meti dois dias de férias no meu aniversário. Mais a folga, vou ficar três dias ausente do escritório. Em vez de estar aos pulos de alegria, por finalmente ir descansar um bocadinho a tola, ando aqui ainda mais preocupada com uma parte do meu trabalho, que não pode deixar de ser feita, mas que mais ninguém sabe fazer... 

terça-feira, 3 de junho de 2014

Pimenta no cu dos outros...

Apesar de não estar numa de comemorações, convoquei meia dúzia de amigos para um jantar de aniversário. Comentário de um: "Tens de começar a pensar num novo blog: derepentejanosquarenta!"
Tanta piada que ele tem...
Faz-me espécie a falta do acento.


segunda-feira, 2 de junho de 2014

Aquele momento em que...

... Acertas em cheio com o joelho mesmo na esquina da porta de um armário e ficas ali tempos infinitos em te atreveres a respirar (isto depois de soltar meia dúzia de palavrões, claro) porque a dor é tão grande que te apetece rogar pragas a quem deixou a puta da cadeira no meio do caminho...
Dor. Muita dor. 

Como se já não bastasse andar aqui quase a largar um pulmão de tanto tossir e espirrar e um dia destes dar com o nariz no meio de um lenço de papel, de tanto assoar. Não tarda recebo o prémio de melhor cliente da farmácia... Por falar nisso. Quem foi o engraçadinho que acabou com o Pulmonar-om?