terça-feira, 29 de abril de 2014

Estava aqui a pensar...

Deixei de fumar. Deixei de beber. Agora não posso comer. Estou sujeita a ter de deixar de correr. Ora, foda-se! Para já, é o que de melhor posso fazer!

Deve ser da velhice....

Pois que andava eu preocupada com o facto de ter deixado na aldeia o vestido verde-muito-verde para o casório, não fosse dar-se o facto de, em três semanas, eu engordar, chegar lá e ele não me servir. 
Após a noite maravilhosa que tive (mais uma) enfiada na sanita, ora com o rabo, ora com a cabeça (eu sei que não é uma imagem bonita, mas quando se tem uma paragem de digestão, crise de fígado ou outra merda qualquer que quase nos arranca as tripas cá pra fora, é mesmo este o cenário) acho que não corro esse risco.
Durante os próximos dias vou ter de andar a dieta ainda mais rigorosa portanto, pelo menos até sábado, não corro o risco de me empanturrar com nada que não deva... Aliás, acho que enquanto me lembrar desta vou fechar a boquinha a tudo o que me faça mal. É ruim demais isto... 

Talvez, afinal, não seja um caso perdido...

Lois Lane: Ó cromo. Sonhei contigo esta noite.
Primo-com-20-anos-mas-ainda-com-atitudes-deveras-duvidosas-de-adolescente-tardio: Tu e muitas.

Mai nada!

Se ele fosse como no meu sonho, que foi mais um pesadelo, levava tanta chapada que até lhe nascia barba na tromba.

domingo, 27 de abril de 2014

Dúvida fashionista!

Como deveis saber (se é que vos lembrais das barbaridades que eu pra qui escrevo) sábado tenho um casório. Se, por ventura vos recordais, decidi, assim à última, trocar o vestido preto por um verde. Assim verde verde! Tipo rã!
Agora, a questão (deveras importante para a vida de todos nós, quiçá para a conjuntura económica portuguesa e para a resolução dos conflitos na terra dos talibãs) é: de que raio de cor pinto eu as unhas? E os beiços? Sendo que os olhos devem ir entre o cobre e o verde garrafa.
Juro que já me apeteceu pintar as unhas de preto. Mas, considerando que é um casamento, é capaz de não ser muito boa ideia. Também já pensei no típico vermelho (aquele mais escuro. Sangue de boi, como diz o amigo Silent!) ou num bordeaux. 

Até vos mostrava o dito cujo, mas não há uma única imagem na net e também não o tenho cá para tirar foto... Vá. dizei-me de Vossa justiça e dai-me umas ideias fáxabôr!
Adoro comer e não me importo de pagar bem, desde que a comida seja boa. Mas também odeio dar 4 ou 5 euros que sejam por uma porcaria que me soube mal e ainda por cima me deixou mal disposta. Desperdício de dinheiro pá!

ADENDA: O pior de tudo é perceber como é que a pessoa que almoçou comigo, e que por sinal me aconselhou a comer o raio da massa, diz que aquilo é óptimo! Uma maravilha! Mesmo boa! O que é que esta gente come? É que foi, seguramente, uma das piores que já provei em toda a minha vida. Não fosse o facto de ser congelada...

sexta-feira, 25 de abril de 2014

Não sei se devo ficar preocupada...

Há um senhor, com idade para ser meu avô, que trabalha na minha empresa. Por mais pouco tempo, porque se despediu. Ora, como se vai embora, toca de trocar e-mails com o pessoal, para se ir mantendo em contacto. Além disso, adicionou-me no Facebook. Isto não seria problema, caso a criatura não passasse o dia a publicar coisas no meu mural! Assim às dezenas por dia!
Eu vou apagando algumas, mas ele continua! Ainda por cima é daquele tipo de publicações que eu odeio e que jamais partilho. Para terem uma ideia, aqui vão as da última hora:










Uma hora!!! Alto, chegou mais uma:


Agora imaginem o meu mural no final do dia... Eu vou apagando alguns, mas começo seriamente a perder a paciência. Só me apetece bloqueá-lo, que é o que costumo fazer quando me chateiam muito, mas, por outro lado, não o quero ofender... Será que se eu for apagando tudo ele se manca???

terça-feira, 22 de abril de 2014

E pronto...

...Fui convidada para mais um casamento. Se este ano for como no ano passado, vou à falência!

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Sai 'A Filha do Capitão', entra 'A Ilha Debaixo do Mar'

Já me esquecia de vos contar que terminei ontem 'A Filha do Capitão'. A escrita do José Rodrigues dos Santos não me convenceu, mas gostei do livro no geral, sobretudo, dos pedaços da nossa história (no caso, a participação de Portugal na I Guerra Mundial) em torno dos quais se vai desenrolando a acção. 
Entretanto já trouxe mais uns quantos livros da casa da aldeia, mas não peguei em nenhum, porque uma amiga me emprestou 'A lha Debaixo do Mar', da Isabel Allende. Dela já li a mítica 'Casa dos Espíritos', que adorei e o 'Paula'. A senhora não costuma desiludir, por isso tenho boas expectativas. 

Back to diet Lois Lane, bak to diet...

Então essa Páscoa, foi boa? Enfardaram como se não houvesse amanhã? Eu abusei um bocado e, como é óbvio, os meus ricos estômago e fígado já estão a reclamar. Nada a que já não esteja habituada. Mas, quer-se dizer, uma pessoa faz um périplo pelas casas da madrinha, dos tios, dos outros tios e dos outros também, sem esquecer a dos avós, e parece mal recusar um doce aqui, uma amêndoa acolá.
Ainda por cima a minha mãe comprou as minhas amêndoas favoritas. Não podia fazer a desfeita de não as comer. No fim disto tudo sinto que tive uma overdose de chocolate. Ainda por cima a semana passada recebi aquela etiqueta catita da Nutella. O que me obrigou a comprar um fraco para a colar! Vá lá que tive juízo e comprei dos mais pequenos. Estou mortinha que o FM chegue para me acabar com aquilo, porque o raio do creme é viciante. Acho que deviam mesmo ser processados por terem feito uma coisa tão boa e que faz tão mal. 
Posto tudo isto, quase que até me apetece emborcar um daqueles sumos verdes manhosos, a ver se limpo limpo o organismo. Mas é demasiado saudável e acho que não convém fazer grandes misturas... 

PS: Quer-me parecer que a minha narrativa hoje não é das melhores, mas tenho o cérebro atrofiado com horas de sono a menos e dor de cabeça a mais. 

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Estágios profissionais o raio que os parta...

Em cada dez anúncios de emprego, oito são para estágio profissional. Eu sei que é bom para a malta que está a sair da universidade, mas a mim não me serve de nada... Não sei se as pessoas percebem que isto é apenas um balão de oxigénio aplicado ao desemprego em Portugal...

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Para grandes males...

Já não preciso de bijuterias para o vestido preto. Comprei um vestido verde, lindo de morrer, super simples e nada de festa, mas para o qual tenho quinquilharia que chegue. Assunto resolvido.

A bem dizer, custou pouco mais do que iria gastar no colar e na pulseira. E sempre fico com um trapinho que posso usar depois. Sobretudo em entrevistas de trabalho. Vai ficar lindamente! Agora é só esperar que os senhores que recebem o meu currículo me chamem...

terça-feira, 15 de abril de 2014

Pesadelos, mais pesadelos...

Ando a dormir mal. Acordo imensas vezes a meio da noite, dou voltas na cama e tenho sonhado ainda mais do que o normal. Eu, que sempre me gabei de dormir bem. De me deitar e aterrar logo. Agora deito-me e fico um bocado ali no escuro a piscar os olhos. Depois, o sono é atribulado. Acordo com a sensação de ter sido atropelada. 
Esta noite sonhei com umas cinco coisas diferentes. Sim, cinco. E olhem que não são sonhos simples... Um deles foi que o FM me tinha trocado. Assim, de repente, sem nada o prever. Por uma Catarina qualquer (que nem sei se existe), mais nova que eu, lá da terra. Simplesmente deixou de gostar de mim. Ignorou-me... E eu, ferida de morte, sem compreender o que se passava, com eles a passearem-se de mão dada à minha frente. E ele nem aí para mim! Eu a querer chorar, mas sem o poder fazer porque eles estavam à minha frente... Liguei-lhe depois só para lhe dizer que não entendia como podia ele estar com ela se apenas uns dias antes dizia que me amava... 

Quando lhe contei ele riu-se. Diz que são remorsos, por eu lhe ter dito, na brincadeira, que se me deixasse eu jamais ia a correr atrás dele e que muito menos ia ficar em casa a deprimir. Pois... 

100.000!

Uma pessoa distrai-se e, quando dá por ela, tem 100 mil visitas no tasco!

Venham, venham que eu gosto de ter a casa cheia! :)

sábado, 12 de abril de 2014

Dilemas fúteis de quem tem de ir a um casamento.

Sou uma gaja com certas dificuldades em tomar decisões. Sejam as mais complicadas ou as mais simples. Sou gaja para me ver num dilema ao ter de escolher uma sobremesa quando gosto muito de duas ou três. Ou os ingredientes de uma pizza. Ou a massa que vou comer em detrimento de todas as outras que ficam à espera de uma próxima vez. Não, nem todos os meus dilemas incluem comida! Também tenho dúvidas sérias. Mas dessas não quero falar.
Agora tenho um dilema fútil. Preciso de um colar. Eventualmente de uma pulseira ou um anel também. Vou ter um casório e decidi não gastar dinheiro em roupa nem sapatos. Assim sendo, vou num vestido preto (sim, preto!), cai-cai pelo joelho e sapatos pretos (sim, vou de vestido e sapatos pretos). Como tal, preciso de alguma coisa colorida para não parecer que vou a um funeral. Já devo ter visto os sites de bijutarias (e eu que ia jurar que se escrevia bijuteria) todos e corrido metade das lojas de Santa Catarina.  Gostei de alguns, mas nenhum me convenceu à séria. Se não precisasse mesmo mesmo de comprar, de certeza que me ia apaixonar por meia dúzia deles. Como preciso, não aparece o tal. A mesma coisa acontece quando tenho de comprar roupa propositadamente para alguma coisa. Nunca encontro!
E pronto. É este o meu dilema. A porra de um colar para um vestido preto. Se por acaso vos cruzardes por aí com um que achais que pode ficar bem no meu trapinho, apitai por favor!

quinta-feira, 10 de abril de 2014

Dúvidas!

Não sei o que é pior: Trocar o nome do perfil no Facebook para Manuel Joaquina (marido e mulher) ou não ser capaz de acertar com o acento no próprio nome...

quarta-feira, 9 de abril de 2014

'Gente Feliz com Lágrimas'

Terminei, finalmente, o 'Gente Feliz com Lágrimas'. Finalmente, porque o raio do livro rende pá. Mas é bom. Não tem uma leitura muito fluída e às vezes dá um bocado de trabalho a assimilar a escrita do João de Melo, mas vale a pena. É diferente de tudo o que tinha lido de autores portugueses. 
Custou. Não só pela narrativa, mas também pela dureza da história. Devo ter feito muitas caras feias, no metro, a ler algumas partes da  história da vida daquela família açoriana...

Mal acabei de o ler cheguei à conclusão de que não tinha cá mais livros por ler. Tenho de trazer mais da terrinha, mas como ainda falta uma semana e tal até voltar lá, uma amiga emprestou-me 'A Filha do Capitão'. Vai ser a minha estreia com o José Rodrigues dos Santos. A ver se me convence.

Esquisitices

Tenho um ódio de estimação pelo Word. E outro maior ainda pelos currículos em formato Europass. Tive de fazer um. Meia hora depois de começar, já tinha insultado aquela porcaria 500 vezes. Apaguei tudo e fui fazê-lo num programa de paginação. Muuuuito melhor!

sábado, 5 de abril de 2014

Rota das Pizzas

Ontem fui comer uma pizza com os suspeitos do costume. Não devia, que o meu estômago acha pouca piada, mas a minha cabeça agradece de joelhos a companhia, a distracção, a alegria e a animação (grande rima, ein) que reina sempre nos nossos encontros.
Pois que fomos à Pulcinella, a Matosinhos, comer a verdadeira pizza napolitana, certificada, com estrela Michelin e tudo! O restaurante não é nada de especial, mas a partir das 20h já se começa a formar fila. Pensámos: bolas, as pizzas devem ser mesmo excepcionais. Mas não. São boas, dentro do género pizza-em-condições-de-massa-fina-feita-em-forno-a-lenha, mas não são as melhores que temos provado nos últimos tempos. 
Em primeiro lugar continuam as do Forneria (Afurada - VN de Gaia) e, em segundo, as do Di Casa (Quinta de Cravel, junto à RTP - VN Gaia).
Se não gostais de Telepizza nem de Pizza Hut, ide provar, que são uma maravilha!

quinta-feira, 3 de abril de 2014

Como ficar (ainda mais) pobre em 14 horas.

O mês ainda agora começou e já estou pobre. Recebi o ordenado há dois dias e já o gastei quase todo. Aliás, consegui esta proeza entre as 20h de ontem e as 10h de hoje. Incrível! Fui à farmácia, ao Pingo Doce, meti gasóleo, carreguei o telemóvel, paguei a água, a luz e a renda.
Para finalizar, comprei finalmente uma coisa que queria muito. Não, não são os sapatos da Zilian... Foi isto:


O Forerunner 110. É um dos modelos mais simples da Garmin, mas para mim serve. O GPS do meu telemóvel é fraquinho e andava sempre a enganar-me, mas agora vou poder controlar perfeitamente o tempo da corrida, a distância, o percurso, o ritmo cardíaco e tudo e tudo. 
Se eu podia ter gasto este dinheiro a comprar a porra de uma vestimenta para o casamento que vou ter dia 3 de Maio? Podia. Mas não era a mesma coisa.

Dor. Muita dor.

Tive pesadelos. Aliás, o mesmo pesadelo a noite toda. Acordei às 2 e tal a pensar que era de manhã e que estava atrasada. Acordei às 4, assustada com o sonho. Acordei às 7, outra vez a pensar que já era tarde. Hoje tenho uma dor de cabeça daquelas. Não sei se foi da noite mal dormida ou da alheira (de aves! Que a minha mãe fez questão de comprar de aves, para não me fazer mal. Pois sim...) que comi ao jantar... 

quarta-feira, 2 de abril de 2014

Eu vou, eu vou, à Decathlon hoje eu vou. Trai lai lai lai, trai lai lai, eu vou, vou!

terça-feira, 1 de abril de 2014

Ciclo vicioso

Uma amiga minha namorou com um caramelo. Quando terminou com ele, o gajo voltou para a ex.
Nessa altura, quando ela me contou, a minha questão imediata foi: se não resultou à primeira, porque é que ele acha que há-de resultar a segunda?
Entretanto, diz-me ela no sábado à noite: "O caramelo voltou a mandar-me mensagens. A convidar para cafés e lanches de Domingo à tarde". Ora, como se há coisa que ela não tem é papas na língua, perguntou logo se ele não tinha namorada e se iam os três. Parece que não, que a coisa afinal não resultou. Outra vez. Ela mandou-o dar uma volta ao bilhar grande e estivemos a duas a rir-nos da situação. Se não deu certo nem a primeira, nem a segunda vez com a ex, porque raio há-de ele achar que vai dar certo a segunda vez com a minha amiga, se a coisa já correu mal da primeira?
Não sei o que é mais ridículo: se o facto de ele voltar a mandar-lhe mensagens mal acabou com a outra, se a tentativa de continuar num ciclo vicioso de volta das ex's!.