quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

(Mais) Uma aventura no ginásio

Ontem fui ao ginásio. Tinha avaliação marcada, por isso lá deixei que me medissem o diâmetro dos braços, na barriga, da anca e das pernas. Como se não bastasse o trauma de ter uma fita métrica à minha volta, imaginem a minha cara quando vejo o homem pegar nisto:


Pensei logo: Estou lixada! Ele é um psicopata, estamos os dois aqui fechados nesta sala e aquilo é um instrumento de tortura! Pois que não é... Quer dizer, é, mas não nesse sentido. Aquela coisa é um adipómetro e serve para medir o nosso tecido adiposo. Um instrumento de tortura, portanto, que agarra as nossas pregas de gordura e as mede.  

Depois desta fase, fui para o ginásio fazer os testes físicos com um instrutor bem mais giro que 'O Professor' (é assim que chamam o homem da tortura...). Passadeira, abdominais, flexões e flexibilidade, para ver os níveis de ferrugem. 
Acabada a sessão, saio do ginásio toda pimpona, já a pensar em despir a roupa e enfiar-me na piscina. Pois que saí por outra porta, que não a usual e entrei directamente onde? No balneário dos homens! Achei estranho ver um senhor a limpar o espelho e ainda fiquei ali uns segundos a matutar que raio fazia ele no nosso balneário, quando me bateu: Dah! Saio outra vez, olho para o símbolo da porta e constato que me tinha enganado. Típico! Por sorte (ou azar) não havia gajos despidos e acho que o senhor da limpeza nem deu por mim!

Agora resta esperar pelos resultados e pelo plano de treinos. E, já agora, pela vontade de o cumprir...

2 comentários:

  1. Bem, que aventuras lol. Eu também sou menina para ir sem perceber, ao wc dos homens.
    Quanto à vontade... ao início é mais difícil, depois gostas, depois tens uma quebra e voltas a gostar outra vez. Pelo menos é assim comigo, cíclico.

    ResponderEliminar