sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Dilema resolvido. Let the games begin!

Pois que hoje, finalmente, já ganhámos coragem e fomos falar com a fofinha da patroa. As duas ao mesmo tempo! Mas a gaja, esperta, disse logo que só falava com uma de cada vez. 
A minha colega esteve lá tempos infinitos, enquanto me roía toda de curiosidade e tentava apanhar alguma coisa da conversa. Finalmente chegou a minha vez. Consegui, por olhares e sinais de fumo, perceber que ela tinha, tal como estava combinado, dito que não! 
Era a minha vez agora. Pensei que também ia ter direito a alto discurso, mas não. A senhora disse que não ia gastar mais latim a dizer o mesmo e resumiu a coisa. Disse que nós estávamos a pensar pequeno e em colectivo e que não o devíamos fazer; que estávamos a fazer uma tempestade num copo de água, porque não nos estava a tirar nada, apenas a trocar a folga; que nunca nos pediu nada, pelo contrário, que sempre nos deu e que nós nunca demos nada; que nunca nos pediu para fazermos horas extra (esqueceu-se da parte em que já me disse umas cinco ou seis vezes que eu devia trabalhar até mais tarde. Além das 7 horas por semana que faço a mais. Memória fraquinha, fraquinha a dela...). Deu a entender que com aquela atitude estávamos a perder qualquer coisa (querem ver que ela estava a pensar aumentar-me o ordenado?) e à minha colega, que trabalha lá há seis anos e ganha 630€, disse que ela não estava a pensar no futuro e que podia vir a subir dentro da empresa (por este andar, só se for para cima da secretária).
Enfim. No fundo, no fundo, a senhora acha que devíamos estar gratas por termos um emprego de merda, com um ordenado de merda, a aturar o feitio de merda dela. Ela é a Madre Teresa de Calcutá e nós somos umas ingratas! 
Agora resta esperar pela vingança dela. Sim, porque ela vai-se vingar! Pois que venha! Cá estamos para responder à letra. Como diz o outro, só custa a primeira vez! :) Let the games begin!

Sem comentários:

Enviar um comentário