quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Se quereis ler um calhamaço escrito por um russo e que puxe pela vossa cabecinha com questão filosóficas e existencialistas, agarrai no 'Crime e Castigo'.

"Datado de 1866, este é o primeiro dos grandes romances que Dostoiévski escreveu já em plena maturidade literária, sendo, provavelmente, a mais bem conhecida de todas as suas obras. Recriando um estranho e doloroso mundo em torno da figura do estudante Raskólnikov, perturbado pelas privações e duras condições de vida, é uma das obras por excelência fundadoras da modernidade. Pelo inexcedível alcance e profundidade psicológica, sobretudo no que implica a exploração das motivações não conscientes e a aparente irracionalidade nos comportamentos das personagens, este autor russo tornou-se uma referência universal na literatura, sem perda de continuidade até aos nossos dias."


Tem tantas páginas que, garanto, quando acabarem de o ler, já ninguém se vai lembrar da Karenina e, aí sim, já podeis ler Tolstói à vontade!

Sem dúvida, um dos melhores livros de todos os tempos. 

1 comentário:

  1. Tenho um para acabar de ler!
    Mas só tem 600 páginas, acho eu.

    ResponderEliminar