segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Ano novo, dentuça nova (salvo seja!)

Já tenho a minha resolução para 2013!!!

Vou colocar aparelho nas dentuças!

Os meus amidos dizem que se vai perder uma parte da minha personalidade e que os meus dentes de coelho já são imagem de marca, e que é giro e blá blá blá, mas estou decidida. 

Há anos que penso em fazer isto e finalmente ganhei coragem. Já fiz um seguro da saúde oral e agora é só escolher a clínica. Tenho muita pena de não o fazer com o meu dentista, que eu adoro, mas ele não tem acordo com nenhuma seguradora e a coisa ia-me sair bem mais cara.

Entretanto já estive a ver e rever a lista de clínicas aderentes e vou optar pela Orto-M. Se alguém já tiver lá ido, agradeço que me contem tudo!!!

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Falando de coisas sérias

Ler notícias como esta dá-me a volta ao estômago. Como é que é possível que, em tantos países, ser mulher ainda signifique ter menos direitos do que alguns animais???

A rapariga foi violada e espancada em público. Num autocarro. Cheio de pessoas. E ninguém impediu que seis grandessíssimos filhos da puta animais quase matassem a rapariga... 

Depois lemos merdas coisas como esta....

"É mais um caso a ilustrar a impunidade da violência contra as mulheres na Índia. Dez dias depois de uma violação brutal num autocarro em Nova Deli, uma adolescente suicidou-se no Punjab após ter sido pressionada pela polícia a desistir da queixa contra os seus agressores. Foi aconselhada a casar com quem a violou ou a aceitar uma compensação financeira.

A história, que ao contrário do que seria habitual, teve direito a destaque na imprensa nacional, numa altura em que as autoridades não conseguiram calar a revolta desencadeada pela violação de dia 16 de Dezembro. A violação terá ocorrido durante um festival em Novembro na região de Patiala e, desde então, a adolescente, de 17 anos, tentou várias vezes apresentar queixa, sempre sem sucesso. “Um dos polícias tentou convencê-la a desistir do caso”, admitiu à AFP o general Paramjit Singh Gill, inspector da polícia local.

A jovem acabou por ser encontrada morta, quarta-feira à noite, alegadamente depois de ter engolido veneno. A irmã da vítima, que não foi identificada, contou à televisão NDTV que “a polícia começou a pressioná-la a chegar a um acordo financeiro com os agressores ou casar com um deles”.
 (in Público)

...e sentimo-nos ainda pior. E damos graças por viver um país onde somos apelidados de incivilizados, onde ficamos todos revoltados quando um gerente de um banco não deixa um cliente entrar porque está mal vestido, mas no qual podemos, apesar de alguma criminalidade, andar descansadas na rua. E fazer queixa na polícia. E levar os violadores a tribunal. E esperar que sejam presos e que lá dentro acabem por ter o castigo que merecem, pelas mãos dos próprios companheiros de cela. 

São demasiados países onde situações como esta acontecem diariamente. Demasiados países, com demasiada população, com demasiadas mulheres que têm direitos insuficientes e vidas miseráveis...

Instintos assassinos - Parte II

Andar de metro dá-me vontade de bater nas pessoas. Sobretudo as que:

- Não respeitam a 'ordem' estabelecida de entrada e saída de passageiros (primeiro deixam sair, depois entram) e que, por sinal, está escarrapachada nas portas do metro (pelo menos no Porto). Por vezes imagino que sou uma enorme jogadora de rugby e só me apetece dar uns encontrões valentes naquela gente que não me deixa sair, a ver se aprendem de uma vez. Ou perguntar se são cegos, ou analfabetos (e, na grande probabilidade que existe de não o serem, dar-lhes com a testa na porta do metro).

É assim tão difícil de compreender???

- Entram nas escadas rolantes e ficam ali paradas no meio, sem deixar passar quem está com pressa e quer dar à perninha em vez de ir a apreciar a paisagem. Apetece-me agarrá-los por uma perna e mandá-los por ali abaixo. Mas vá, limito-me a mandar um 'Com licença', de sobrancelhas arrebitadas.
- Assim que o metro pára, quase correm (algumas pessoas chegam mesmo a fazer sprints) para se meterem à frente de toda a gente que, tal como elas, está ali à espera do dito cujo! Qual fila, qual ordem de chegada, qual quê!!! Importa é entrar primeiro que os outros todos.
- Fazem o mesmo que as anteriores, mas à saída do metro. Hoje mandei uma cotovelada numa catraia que me fez isso. Só assim naquela, como quem está a avisar. 

Portanto, se andam no Metro do Porto, afastem-se de mim, que eu sou uma mulher enervada!!! 

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Bateria a zero....

Não sei se foi das férias ou se é da proximidade do Natal, mas a verdade é que ando com vontade de fazer nada!!! Nadinha desta vida!
De manhã faço um esforço tremendo para sair da cama! E de dia tenho sono! Energia? Zero!
Não ando a dormir grande coisa e todos os dias parece que levei um exerto de porrada...

Tendo em conta que não estou doente, espero que seja apenas preguicite aguda natalícia. 

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Conheceis a expressão 'Nem fode, nem sai de cima'???

É isso....

Oi????

"Tenho três nacionalidades: brasileira, colombiana e europeia" - Germán Efromovich, empresário que quer comprar a TAP e que parece ter descoberto um novo país....

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Piada satírica

Aposto que o gajo que entrou por aquela escola primária dentro a matar a criançada toda tinha obras na casa ao lado e passou dias a ouvir brocas nas paredes...

Por aqui as obras continuam.....

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Regresso ao trabalho...

Acabei de voltar ao trabalho. E já quero ir embora!

Primeiro: desapareceu a minha caneta! E eu ODEIO que me tirem as canetas...

Segundo: há obras no piso inferior, com um berbequim a furar a parede. E eu ODEIO barulho e berbequins... E dói-me a cabeça!

Terceiro: acordei às 8 da matina. E já não estava habituada...

Quarto: tenho 300 mil e-mails para ler. E vou passar o dia todo nisto...

Resumindo: Estou bastante irritada.

domingo, 16 de dezembro de 2012

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

A loucura das minhas férias

As férias estão a chegar ao fim. E perguntam vocês: Ó Lois! Atão e que fizeste tu estes dias todos?? 
Ao que eu respondo: Nada! Nadinha desta vida!!! Aliás, fiz, mas nada de jeito.
Basicamente, tenho dormido, comido e tomado cafés com os amigos. E tenho estado à lareira. Muito tempo!

Mas eis que, esta semana, tive uma súbita vontade de cometer uma loucura! Deve ser de andar a ver os programas da manhã e da tarde na TV...
E o que fiz eu?? Um bolo! Ah pois! Ganda maluca!! 
Eu até sou uma gaja dada à cozinha. Juro! Mas doces não são (ou não eram!!) o meu forte. Vai daí, nunca tinha feito um bolo (sendo que o que fiz quando tinha 12 anos, quase destruindo a cozinha à minha mãe, não conta).

E sabeis que mais? O bolo ficou assim espectacular! Mesmo mesmo bom! Incrível! ahaha
Bolinho de maçã, canela e nozes! Ah pois, que eu não deixo a coisa por menos!
E como prova, aqui vai uma fotinha!


Foi aprovado por quatro pessoas, para além de mim. E todas elas continuam vivas. Portanto, acho que posso continuar a dedicar-me a esta vida! 

domingo, 9 de dezembro de 2012

Instintos assassinos

Juro que ontem tive ganas de matar uma mulher no metro.
Sentei-me ao lado dela e, dez segundos depois, apercebi-me de que tinha cometido um erro terrível. A mulher mascava chiclete! Mascava, chupava, estalava, fazia bolas e rebentava-as... Uma chinfrineira absurda.
A minha vontade era agarrá-la pelos cabelos e dar-lhe com a cabeça na janela do metro até ela largar a porra da pastilha e pedir desculpas por me enervar tanto!
Mas vá, controlei-me, levantei-me e mudei de lugar. Devia era ter mudado de carruagem, que mesmo a uns metros de distância, ainda podia ouvir aqueles barulhos irritantes e vê-la mascar aquela coisa de boca aberta.

Não, não ando muito sensível. Mas há sons que me irritam. Profundamente. Sons feitos com a boca (seja a mascar pastilhas, a chuchar rebuçados ou o rai que parta) tiram-me do sério. 
E pronto. Apetece-me matar gente. 

Portanto, para vossa própria segurança, de agora em diante, por favor, masquem a porra da chiclete com a boca fechada. De preferência em modo silencioso. Não vá eu estar por perto...

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Uma questão de nome

Sempre que vejo a publicidades destes chocolates:

penso: Porra pá! Quem é que vai querer comer bombons bom nome disto:


Imaginem o namorado a chegar à vossa beira (que é assim que se diz cá em cima) e dizer: "Querida! Trouxe-te uns Lindor!!". Ou a vizinha sair-se com: "Ai, fui ao supermercado e não resisti a uns Lindor. Trouze dois pacotes, uns para mim, outros para o meu marido! Acho que no Natal também vou oferecer aos meus sogros!!" 

Há nomes com os quais uma marca nunca se deveria deixar confundir!