quarta-feira, 29 de março de 2017

Vou dedicar-me ao rebolanço. E não. Não é a isso que estão a pensar!

Deixei de fumar há nove anos. E deixei de fazer exercício há quase dois. Resultado? Comecei a engordar. Como se não bastasse, desde o verão passado que o meu desporto favorito é descobrir novos sítios onde me empanturrar com comida deliciosa. Primeiro, em Braga, agora no Porto. E olhem que nem repito locais!
Este exercício tem sido muito bom para me distrair, divertir e conviver, mas a minha barriga, coxas, braços e afins estão a ressentir-se como nunca.
Por outro lado, vontade de mexer o rabinho sem ser para me sentar num novo tasco de tapas, não há.
Resultado? Um dia destes rebolo. 
Ok, estou a exagerar. Não rebolo. A não ser que esteja deitada. Aí sim, já sou capaz de ir ladeira abaixo sem problema. MAS, só não estou redonda, porque tenho uma estrutura mesmo fina e pequena. O que disfarça sempre bem a gordura. Com a roupa. Porque sem roupa, meus amigos, isto vai pra qui uma desgraça, com tanta concentração de massa gorda naqueles sítios críticos que todos sabemos quais são...

Dieta, está mais que provado, não consigo fazer. Não adianta. Sou demasiado gulosa. Caramba, há nove anos que não toco num cigarro. Peçam-me tudo, menos para deixar de comer.
A solução seria, portanto, exercício físico. Mas, como o pé não me deixa correr e o trauma da bicicleta ainda não passou, continuo a arrastar-te de carro, elevador e escadas rolantes para todo o lado. Simplesmente, porque não me apetece. Nem uma mísera caminhada! Ginásios, então, nem pensar. 
Como tal, estou  ver a minha vidinha a andar para trás, porque a roupa está cada vez mais apertada. Pior de tudo, vem aí o calor! E eu vou deixar de poder refugiar-me dentro de collants, vestidos e casacos de fazenda. E sei que vou ficar muito frustrada quando não conseguir enfiar-me em metade da roupa de verão. E quando tiver de comprar o vestido para o batizado da afilhada mais linda deste mundo e do outro...

Por isso, minha gente, se souberem pra i de algum truque mental para levantar o meu rabo não muito gordo, que sempre foi um bocado achatado, do sofá e ganhar coragem para recusar as bolas de berlim da Padaria Ribeiro, por favor, é partilhar!

Até lá, e porque não quero que falte nada aos meus leitores, sobretudo ao anónimo do último post, aqui vão alguns ecards alusivos à atual conjuntura que por aqui se vive...







quinta-feira, 23 de março de 2017

S. Pedro, já atinavas, não?

O tempo está um bocadinho bipolar. E isto é coisa para me estar a deixar doente...

No sábado almocei de manga curta numa esplanada e hoje saí de casa com gorro e cachecol, porque estavam cinco graus.

Tem tudo para correr mal, portanto...

sexta-feira, 17 de março de 2017

Pequenas coisas que nos fazem mesmo felizes!

Pensar que o nosso telemóvel morreu pra vida (neste caso, o wi-fi deixou de funcionar. O que vai dar no mesmo). Pensar que temos de gastar um dinheirão num telemóvel novo, que não é tão bonito nem tão bom (mesmo que seja mais moderno. Isso não interessa nada).
Ir à página da marca, ver umas dicas, atualizar o sistema e.. Tchanan!!! Habemos telemóvel a funcionar de novo!
Para quem tinha acordado, sem querer, às 7h da matina e estava com um mau humor de cão, o dia acabou de melhorar!

Adenda: a felicidade só durou até ao final do dia... O telemóvel está NA MESMA!!!

Segunda adenda: E funciona outra vez!

CONCLUSÃO: Tenho um telemóvel bipolar...

quarta-feira, 15 de março de 2017

Eu, Lois Lane, apaixonada me confesso!

Vamos lá animar aqui o tasco, que tristezas não pagam dívidas, pelo contrário, ainda nos fazem é ir ao shopping gastar dinheiro em roupa e chocolates e, aí sim, corremos o risco de ficar seriamente endividadas, além de gordas e diabéticas.

Um dia destes estive a ver o filme DeadPool. E aparece um moço. Giro que se farta. Era o vilão! Ficava ainda mais giro, claro está. E aí, eu pensei: de onde é que eu te conheço? Fácil!! Acho que até já escrevi aqui sobre ele. Era o nosso (podia ser só meu, que não me fazia rogada) amigo Daario Naharis, de Game of Thrones!
O primeiro! Cuja substituição por outro ator tanta polémica causou, principalmente entre o mulherio. Fácil perceber porquê, né??


Atão, como eu dizia, no tal filme ele faz de vilão. E é tão bom, mas tão bom, que é impossível não ficar a torcer por ele! E aquela pronúncia britânica? Ui!!! Agora, botai os olhinhos no moço e ide pra cama a pensar nele! 









É que casava já amanhã!!

terça-feira, 14 de março de 2017

Time to reset and move on.

Após alguns dias a sentir-me revoltada, zangada, frustrada, que é como quem diz, fodida mesmo, as coisas começam a parecer menos negras.
É esperar que o otimisto regresse de vez e que a vida comece a rolar novamente.

Elas não matam, mas moem. E esta doeu na alma...

quarta-feira, 8 de março de 2017

Ai andas toda feliz? Espera lá que já te fodes...

Uma pessoa anda toda feliz, porque as coisas estão a correr bem e a vidinha está a andar para a frente. Do nada, dão-nos assim um chapadão, daqueles que nos deixa de cara à banda e a pensar que raio fizemos nós para esta merda ser assim.
Dá uma vontade enorme de atirar a toalha ao chão e dizer: Chega! Estou cansada. Desisto. Não quero mais dar-me ao trabalho de nada. Só quero meter-me na cama e hibernar uns três ou quatro anos. Pode ser que quando acordar este mundo seja mais simpático.