quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

La La Land e a lágrima no canto do olho

Ontem fui ao cinema ver o La La Land. Sim, é tão bom como dizem. Sim, ajuda ter ao lado um primo que sabe tudo e mais alguma coisa sobre cinema e que explica as referências a outros filmes, em cenas que parecem demasiado estranhas.
E, minha gente, fiquei com uma lágrima no canto do olho. Duas vezes! A culpa é da música. E da história de amor. Tão linda, sem ser a típica lamechice.

Mais não digo. Ide ver!

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Pânico capilar - o regresso!

Tenho o cabelo oleoso!

("E nós com isso?? Tivesses lavado a trunfa!").

Vocês não têm ideia do dilema que é, para uma pessoa que pode passar uma semana inteira sem lavar o cabelo, de tão seco que é, de repente, ter óleo no cabelo! É um daqueles mistérios que me assola de vez em quando. Espero que não seja uma repetição disto e disto.

Há alguns meses que ando a lutar contra uma caspa estúpida, que não se vê (pelo menos não cai para a roupa), mas que me dá uma coceira desgraçada. Agora estou a usar um champô de farmácia, que me deixa o cabelo muito estranho. E a minha esperança é que esta oleosidade seja da porcaria do champô e que passe quando deixar de o usar. Por outro lado, vou ter de continuar à procura de um champô milagroso que me livre desta caspa e desta comichão.

Em conjunto com um outro sintoma misterioso que tem vindo a atacar-me, o da transpiração fora do normal, creio que poderei supor que isto, mais uma vez, estará tudo relacionado com o sistema nervoso. Não sei é porque motivo, já que, tirando o stress normal das alturas com mais trabalho, até tenho andado relativamente tranquila.

Só sei que se nas próximas semanas a coisa se resolver, terei de ir ao médico. Porque isto realmente não é normal... Se alguém já tiver passado pelo mesmo, por favor, não se acanhe e partilhe!

Entretanto, acho que vou aproveitar para me baldar a um jantar de aniversário:


quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

50 shades of black!

Para quem, como eu, tem vergonha alheia por todas as pessoas que acham a saga 50 Sombras de Grey uma bela história de amor, por favor, vejam isto:


É tão mau, tão mau, que chega a ser bom!

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Quando existem falhas de comunicação com o cabeleireiro... Já se sabe que dá caquinha!

Uma pessoa vai ao cabeleireiro do costume, em quem confia plenamente e pede determinado corte. A criatura entende mal e faz o corte um bocadinho diferente do que a pessoa estava à espera. Pessoa fica com ar de quem não está muito contente, mas cabeleireiro e restantes clientes dizem que sim, que está muito bem. 
Pessoa vem embora com a sensação de que vai chegar a casa e dar umas tesouradas naquilo, a ver se fica melhor. Cabelo começa a perder o volume do penteado do cabeleireiro e pessoa até pensa que aquilo é capaz de não ter ficado assim tão mal.
Pessoa lava e seca o cabelo. Olha para o espelho. Tenta pentear. E decide que no próximo fim de semana vai cortar outra vez, a ver se esta valente merda fica um bocadinho disfarçada!

É só cabelo Lois... Ele vai crescer... Ele vai crescer... Ele vai crescer...

Até lá, acho que vou andar sempre de gorro.


segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Just another Monday morning...

Uma pessoa chega ao trabalho, apenas umas horas depois de ter acabado o fim de semana, ainda assim em modo "não consigo dizer mais nada além de um bom dia" e estão duas colegas há mais de 20 minutos a discutir trabalho, cheias de energia, como se fosse quarta-feira.
Que violência. Fazem tanto barulho.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Como panicar fortemente dentro de um avião e sobreviver.

Leitores mais lindos do meu coração!!

Na sexta-feira pensei que nunca mais Vos ia escrever. Achei que era o fim. Que me ia de vez. 

Fui passar o fim de semana a Valência, que andava a precisar de arejar a cabeça e arranjei um voo a preço mesmo porreiro. Vai daí, no final da tarde de sexta-feira, lá fui toda pimpona para o aeroporto. Sexta-feira. Dia de temporal. Com alerta laranja, vermelho, ou o rai que o parta. Estão a ver o filme, né?

Quando ia a caminho do avião, pista fora (que a malta pobre anda de Ryanair e os gajos não têm direito a mangas, pelo menos no Porto), achei logo que já não precisava de embarcar naquele autocarro com asas. A ventania era tanta, que eu me julguei capaz de chegar a Valência ao estilo Super Homem. Infelizmente não tinha o GPS em condições, por isso lá entrei no avião. Que, parado na pista, já abanava todo com o vendaval.

O piloto cumprimentou o pessoal e eu pensei: Pronto. Estou fodida. Como se não bastasse a ventania, o gajo também está com os copos. 

Quando o avião finalmente começa a andar pela pista fora, a abanar todo, percebi logo que aquilo ia dar merda e que foi uma péssima ideia ter embarcado. O gajo começa a descolagem e, meus amigos, foi o TERROR!!

Ele abanava, as pessoas (um bando de gajas histéricas atrás de mim) gritavam. Ele perdia altitude de repente, mais gritos. Ele tentava à força toda ganhar altitude contra o vento, ainda mais gritos. Isto durante largos e largos minutos, até a coisa estabilizar mais ou menos lá em cima. E eu? Não gritei, naturalmente, mas ia agarrada à cabeça como uma louca, a pensar que me ia dar uma coisa má. Paniquei tanto, mas tanto, com aquelas oscilações. Eu, que nunca enjoei de avião, pensei que ia virar o barco ali mesmo. Juro que faltou pouco para sacar o cinto fora e ir lá à frente mandar o gajo aterrar aquela merda para eu sair. Parece que até já estou a ver as manchetes do CM: "Avião da Rynair aterra de emergência por causa de passageira em pânico". 

Mas como eu só queria deixar o mau tempo para trás, o remédio foi aguentar. Lá para o meio da viagem, a coisa melhorou, mas quando começou a descer para aterrar, o grande filho da puta anormal do piloto, bota de acelerar por ali abaixo, o que fez a cabeça e os ouvidos ficarem todos atrofiados outra vez.

Eu achava que já tinha apanhado voos com turbulência. Mas, depois deste, nunca mais reclamo de um pocito de ar ou outro. Juro. Felizmente a viagem para cá foi tranquila e, ao que parece, não fiquei traumatizada. 

Valência é fixe. Ide lá visitar!

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Mania de pobre, não andar pela auto-estrada...

Sou só eu que, de cada vez que coloco no GPS a opção "evitar portagens", me arrependo logo nos primeiros quilómetros, porque o gajo me manda por estradas esburacadas e quelhos sem fim?? E se for com o MEO Drive?? Pior ainda! Ele tem uma predileção por paralelo e ruas estreitas, onde só cabe meio carro. As últimas atualizações incluíram tudo o que é caminho municipal, seja de vacas ou não, e toca de mandar a malta por lá. 

Ah, maldita a hora em que uma pessoa decide poupar uns trocos em portagens. Vai-se tudo depois na oficina para tratar da direção!