segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Não estou a perceber que tempo é este...

Não estamos no Outono?? Então porque é que vão estar hoje 28 graus no Porto? Vou passar o fim-de-semana ao Alentejo e estão previstos mais de 30 graus.
Quer-se dizer. Nas últimas duas semanas andei de casaco de fazenda e collants opacos, porque estava um bocado fresco lá para as Alemanhas. Chego cá, já a pensar numas castanhas assadas e está este calor.
Não gosto!

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

De novo por terras germânicas!

Desculpai-me os dias de ausência, mas voltei à Alemanha em trabalho e isto tem sido uma loucura. Não dessas que estão a imaginar! É mesmo muito trabalho. Quando chego ao hotel, só quero ver uma série e dormir. Coisa que, por acaso, não ando a fazer em condições. Não entendo muito bem porquê. 

Como tinha de vir duas semanas, aproveitei para ficar cá no fim-de-semana e fui visitar duas cidades aqui perto. Uma delas não é nada de especial, mas a outra, minha gente, é maravilhosa! Heidelberg é linda de morrer! Pena que tive de vir embora a meio da tarde, porque sua excelência, meu colega de trabalho, estava a sentir-se muito cansado e queria regressar ao hotel. 
Já disse que odeio pessoas? Pois.

Mas pretendo lá voltar, de preferência sozinha, para dar as voltas que quiser e demorar o tempo que me apetecer. Heidelberg é daqueles locais encantados que têm de ser visitados e absorvidos lentamente, de preferência num dia de sol!

Entretanto já tenho mais duas cidades e uma floresta na minha lista para visitar. Quem diria que eu ia gostar tanto da Alemanha!

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Estou viva e de melhor saúde, aleluia, aleluia!

Calma minha gente, que ainda não me finei! 
Parece que consegui livrar-me do problema da diarreia. Não sei se foi do antibiótico, se da valeriana todos os dias de manhã ou se do monte de bactérias que emborquei.
O mais provável é que tenha sido do médico LINDO DE MORRER que me atendeu na Urgência do S. João. 
Como na semana passada a minha barriga voltou a portar-se mal e eu tinha de vir para a Alemanha uns dias depois, fiquei com medo de piorar e decidi ir outra vez ao médico. Lá fui para a Urgência do S. João, em plena semana da greve dos enfermeiros. Cheguei cedo e esperei uma duas horas, até me chamarem.
Vou à procura do sítio para onde tenho de ir, quando vejo um Deus grego enfiado numa fatiota verde de médico. Ele pergunta: "Lois Lane?" e eu, já de boca aberta e olhos arregalados, lá consegui articular um "Sim", arrastando-me atrás dele até ao local da consulta.
O rapaz (sim, parecia bem mais novo que eu) foi muito simpático, atencioso e receitou-me umas coisas mesmo porreiras, que ajudaram o meu intestino a ir ao sítio.

Escusado será dizer que vi o nome do médico na receita e o fui pesquisar às redes sociais. Meninas e meninos, vós não imaginais o pedaço de mau caminho que é o senhor doutor! Dá vontade de ficar doente todas as semanas, só para ir apreciar aquele sorriso. Ou não. Na verdade estou farta de estar doente e dispenso. Mesmo o gajo sendo lindo de morrer. E jeitoso. Assim com um corpaço daqueles de fazer inveja a tudo o que é gajo. 

Não, não vou dizer o nome. Nem mostrar. Não insistam! Vá, tá bem. Só uma foto, para Vos deixar todas(os) roidinhas(os) de inveja!


terça-feira, 5 de setembro de 2017

Não há nada como uma boa caganeira para finalmente levar a dieta a sério.

Olá. Eu sou a Lois Lane, tenho 35 anos e há 12 dias que não como doces. Nem salgados. Nem fritos. nem gorduras. Nem fruta, com exceção de banana e maçã cozida. Nem verduras, legumes e afins, para além da batata e da cenoura (sempre cozida!). Nem porra nenhuma.

Para quem dizia que era incapaz de fazer dieta, até me estou a portar bem. Acho que mais restritivo que isto é impossível. Estou quase a enjoar tudo, mas nada de grave. O meu estômago agradece, que nunca mais precisei de pastilhas Rennie para fazer a digestão. O meu gastroenterologista havia de ficar orgulhoso de mim.

E perguntam vocês: atão mas ao menos estás melhor da diarreia? 
Pá. Até ontem à noite, não. Hoje o dia correu bem. Que é como quem diz: não fui a correr para a casa de banho o dia todo.

Mentira, fui de manhã, em casa. Mas hoje a consistência já estava melhorzinha. Ter consistência é, por si só, uma coisa boa, já que durante as últimas semanas eu me tenho limitado a fazer chichi pelo pipi e pelo rabinho.
Agora pareço aqueles pais que passam a vida a olhar para o cocó dos bebés e quase deitam foguetes quando a coisa sai com uma cor e um aspeto decentes. Estou assim. Sim, nesta altura, a minha vida resume-se a observar o meu cocó. Ao ponto a que uma pessoa chega.

Bom, na sexta fui ao médico e o senhor receitou-me antibiótico e mais umas bactérias para tomar. A mais de metade da caixa, estava igual. Pode ser que, por algum milagre, a coisa a partir de hoje comece a fazer efeito. Amanhã tomo o último comprimido. O problema é que, por norma, o antibiótico já me dá diarreia como efeito secundário. Ou seja, tenho de acabar a caixa e esperar um ou dois dias, a ver se a coisa vai ao sítio.
Se não for, vou panicar oficialmente pela segunda vez (a primeira foi antes do médico) e correr para a Urgência do S. João. 
Porque quase um mês de soltura, como se dizia na minha terra quando eu era miúda, só pode significar que tenho alguma coisa muito ruim!

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Este é um post de caca*. Literalmente.

Estou com um problema intestinal. Há demasiado tempo. E começa a ser preocupante.

Já há várias semanas (pensando bem, acho que são meses) tinham diarreia de vez em quando. Mas sempre achei que era uma coisa normal. Depois a frequência começou a intensificar-se, até que, há cerca de duas semanas, tornou-se diária.
A coisa é grave ao ponto de eu já ter emagrecido. E emagrecer é uma coisa boa quando se faz uma dieta saudável. Não quando se perde praticamente tudo o que se come.
Já estou a tomar bactérias que, supostamente, deviam equilibrar a flora intestinal e pensei que estavam a fazer efeito, mas afinal não. 
Também estou há uma semana a comer à velho, variando entre arroz e massa cozida, mais umas cenas grelhadas, sem tocar em verduras ou saladas, nem molhos ou afins. Mas nem assim.
E como não posso andar sempre a tomar Imodiuns, lá decidi que amanhã vou ao médico. Ainda por cima não tenho médico de família cá, o que significa que vou para a fila dos esporádicos amanhã de manhã.

O mais provável é que seja alguma reação provocada pelo sistema nervoso ou pelas porcarias que andei a comer durante demasiado tempo. Ou saladas a mais, que estamos no tempo dos tomates e dos pepinos caseiros. Ou então uma coisa ruim. Esperemos que não!

Vamos ver o que diz o médico amanhã. Se eu conseguir consulta...


*Viram o esforço que eu fiz para não escrever merda? Estou a melhorar!
Tem-me dado para ver filmes deprimentes. E a ouvir músicas lamechas. Bah! Que tristeza.

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

É mais fácil arranjar emprego do que casa para alugar no Porto. Juro!

Atão! Por aqui continua a saga de tentar alugar casa. Agora já não estou sozinha nesta demanda, que parece ser mais difícil do que as cruzadas dos tugas quando andavam a expulsar índios de continentes alheios.
Como alugar um T0 ou T1 a preços decentes, sem ser um palheiro com meia cama, se revelou totalmente impossível, eu e uma amiga decidimos começar a procurar T2 mobilados para dividir.
E se antes só me apareciam T2 porreiros, agora parece que desapareceram! É sempre assim, não é?
Quando uma pessoa não precisa de roupa para cerimónias vê montes de coisas giras. Mas quando chega a altura de comprar uma trapinho para um casório, já sabe que não encontra nada de jeito.
É a lei da vida. Pelo menos da minha.

Então, nesta minha senda, tenho visitado os mais horrendos apartamentos a preços exorbitantes, pelo menos para as condições que oferecem. Se forem espetaculares e numa zona porreira, então o preço dispara.

Um dia destes vi um T3 (Efetivamente é um t2+1, mas eu perdoo, porque o terceiro quarto não me faz diferença) que aparenta ser porreirinho (as fotos enganam tanto...) , numa zona que não é má de todo, a 500 euros. Toca de enviar email ao senhor que está a alugar e, no entretanto, recebo a resposta:


Olhai a minha bida!!! Então mas agora tenho de enviar CV e falar da minha vida pessoal, para ser a feliz contemplada com a possibilidade de ver a porra de um apartamento para arrendar???
Como se já não bastasse todas as merdices que pedem para o contrato de aluguer, pior que os bancos para fazer um empréstimo! De caminho tenho também de mandar foto de rosto e corpo inteiro, levar a malta a jantar e apresentá-los à família. A ver se me alugam alguma coisinha.