terça-feira, 25 de julho de 2017

Dois anos depois do acidente mais estúpido da história do ciclismo

Remember this?


É. Faz hoje dois anos que fui parar ao hospital com o pipi todo esfrangalhado. Sim, é um termo estúpido, mas era exatamente assim que eu estava. Física e psicologicamente. 

24 meses depois, já voltei a andar de bicicleta, felizmente sem quedas a registar. Claro que investi nuns canções profissionais, que eu sou maluca, mas nem tanto. Ainda assim, confesso que ainda fico com o estômago às voltas, enjoada, angustiada e revoltada quando me lembro do que aconteceu. Estão a ver aquela coisa chamada trauma, que os psicólogos têm a mania de chamar sempre às conversas? Pois o meu está cá. Bem presente.

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Já disse que odeio ser pobre??

Sabeis aquelas alturas em que o dinheiro só conhece o modo de saída da conta? Estou nessa fase... É despesa atrás de despesa. Ainda por cima, com os dois meses de desemprego, as coisas ficaram um bocado desequilibradas.
Ele é casamentos, ele é seguro e selo do carro, ele é pneus e inspeção, ele é IRS... Aiii! Odeio ser pobri!

sexta-feira, 21 de julho de 2017

Deitar cedo e cedo erguer, custa pra caramba, mas realmente dá resultado!

Já disse que era gaja para viver nesta cidade? Não sendo muito grande (tem cerca de 120.000 habitantes), não lhe falta nada. E acredito que quem cá mora tem uma qualidade de vida incrível.
Na minha empresa parecem todos super tranquilos. Não vejo pessoas a stressar com os outros, nem a falar alto, como os tugas tanto gostam de fazer. E, no entanto, o trabalho flui muito bem.

Começo a pensar seriamente adotar os horários deles, que permitem aproveitar muito melhor o dia. Levantar mais cedo para trabalhar custa, é certo, mas depois acaba por se refletir, não só na produtividade, como na vida pessoal. Pouco depois do meio da tarde esta malta já está a sair para passear, beber um copo, ir buscar os filhos à escola, fazer as compras da semana, o que seja, sem terem de chegar a casa às oito da noite. E todos sabemos que, depois de chegar a casa, há sempre imensas coisas para fazer e, quando damos por ela, é meia-noite e ainda estamos a passar a ferro. 

Sei que nem todos têm flexibilidade para fazer esta opção, por terem horários fixos ou por fazerem turnos. Mas mantenho a esperança de que, um dia, as empresas portuguesas vão olhar um pouco para o que se faz nestes países (no Norte da Europa é normal fazer estes horários, para 35 horas semanais, ou menos) e adotar novas estratégias. 
Pode ser que, num futuro não muito longínquo, os patrões portugueses cheguem à brilhante conclusão de que funcionários satisfeitos sãos os mais produtivos. E não necessariamente os que passam mais tempo sentados à secretária. Ou a engraxar. E não são os sapatos.

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Saudações germânicas!

Tive de vir uma semana à Alemanha fazer formação. Que chatice, não é?

E digo-vos que a experiência está a ser espectacular! Era gaja para me adaptar a este estilo de vida. A cidade onde estou é lindíssima e os colegas são super simpáticos. Na rua encontram-se pessoas de muitas muitas nacionalidades e há restaurantes incríveis, de gastronomia estrangeira. A preços mais baixos que no Porto, o que é um bocado frustrante. 

Portanto, na terceira semana de trabalho na nova empresa, o balanço é muito positivo! Vamos esperar que assim continue. 


quinta-feira, 13 de julho de 2017

A isto chama-e encher chouriços!

Sou uma desgraça! Nem relato das férias, nem fotos, nem nada. Como dizia a outra, nada desta vida!
Desculpai lá mais uma vez, mas isto com o trabalho novo, o jornal para fazer e uma vida social agitada, não tem sobrado tempo para muito.
Nem vou prometer que de caminho venho cá dizer mais qualquer coisinha, porque já se viu que eu sou pior que os políticos!
A verdade é que também não tenho tido histórias de jeito para vir cá contar. Anda tudo muito calmo nesta vidinha.
Se, entretanto, acontecer alguma coisa digna de ser partilhada, cá estarei. Até lá, venho cá só mesmo para encher chouriços. Como acabei de fazer. 

terça-feira, 4 de julho de 2017

Novidades das boas!

Muito tempo sem cá vir, eu sei. Mas muitas novidades.

Ontem comecei um emprego novo (yey!) e, para me despedir das férias prolongadas, tirar a semana passada para fazer uma road trip a solo. 
Ah e tal, que fixe. Sim. Mas se não estivesse um frio desgraçado, com direito a vários dias de chuva, tinha sido ainda mais espetacular.

domingo, 18 de junho de 2017

Fotos de pés. Esse flagelo destruidor de Verões alheios...

Vem o calor de começa o flagelo das fotos dos pés ao léu na praia e na piscina. A minha questão é: porquê pés? Alguém realmente acredita que são uma coisa bonita de se ver? Cheios de calos e dedos tortos do calçado apertado? Acho que nunca vi uma foto em que olhasse e pensasse: Ora aqui estão uns pé bonitos! Não, porque, por norma, são todos feiosos. Mesmo os meus, com aquele dedo mindinho deficiente e arrebitado. 

Pá, postem mamas, rabos, bocas, orelhas, ou até pilas! Mas pés, por favor, não...
A não ser, claro está, que estejam devidamente tapados por calçado giro. Aí sim, podem e devem partilhar, que a malta anda sempre atrás das novidades.

Os últimos que me apareceram iam-me cegando um olho.